Em debate sobre presídio, Crippa exige mais policiais em Catanduva (SP)

PTB Notícias 19/03/2013, 6:55


Desde que o governo do Estado de São Paulo publicou no Diário Oficial, em 14 de março, decreto que desapropria uma área de Catanduva (SP) para construir a unidade prisional anunciada em 2009, o tema recheia os debates entre os vereadores nas sessões da Câmara.

Na última semana, vários parlamentares abordaram o assunto.

Presidente da Câmara de Catanduva, o vereador Marcos Crippa (PTB) classificou o debate sobre o presídio como uma disputa política em busca de culpados.

Segundo ele, a discussão que deve ser feita não é com relação à vinda ou não da penitenciária.

“O que é preciso é fazer uma manifestação contra o governo do Estado pedindo polícia para Catanduva”, disse.

Na visão do parlamentar, além da preocupação com a construção da unidade prisional, que seria de regime fechado, é preciso protestar contra a falência da polícia.

“Hoje nós temos uma cidade tomada pela bandidagem.

A polícia perdeu a guerra.

A polícia é uma instituição falida.

Tinha que ter uma manifestação contra o governador pedindo para colocar polícia em Catanduva.

Os policiais que se aposentaram não foram substituídos.

Não temos efetivo para combater a criminalidade”, esbravejou.

De acordo com o vereador petebista, a estrutura da polícia, com armamentos e veículos, merece elogios.

Entretanto, faltam policiais.

“A estrutura da polícia é nota mil.

Mas a delegacia deve ter oito policiais para dez viaturas que nem saíram para as ruas ainda”, ironizou.

Ainda segundo Crippa, antes a polícia era atuante, mas hoje todo o sistema precisa de mudanças, a começar pelo salário dos profissionais do setor.

“E temos policiais aqui em Catanduva altamente qualificados, que teriam que ser melhor aproveitados.

” Realidade O vereador Marcos Crippa ressaltou, durante seu discurso na tribuna, a importância do investimento em mais policiais, no aspecto humano da polícia, a partir de iniciativa do próprio governo.

“Faz hoje uma manifestação pedindo mais policiais para Catanduva.

Automaticamente, o crime organizado vai se rebelar contra quem fizer”, ponderou.

Segundo o parlamentar, vários bairros já estão tomados pelo crime, locais em que as pessoas não entram mais à noite.

A própria polícia, disse Crippa, não vai sem reforço a determinados lugares.

E frisou: “Esta é a realidade que temos que enfrentar.

É uma discussão que teríamos que ampliar, debater, chamando autoridades e a sociedade”.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal GN Notícias