Em discurso na ALMG, deputado Arlen Santiago declara total apoio às Apaes

PTB Notícias 14/11/2013, 17:15


Em discurso na terça-feira (12/11/2013), no plenário da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o deputado Arlen Santiago (PTB) declarou seu total apoio às Associações dos Pais e Amigos do Excepcionais (Apaes) de todo o país, tendo em vista a proposta do Ministério da Educação de retirá-las do Plano Nacional de Educação.

Criado em 2010, o projeto previa ampliar o atendimento para os alunos especiais incentivando a transferência deles para o ensino público regular.

Mas o texto foi modificado pelo líder do governo no Senado, José Pimentel (PT-CE), que propôs cortar os repasses do governo federal para as Apaes depois de 2016.

Consequentemente, as associações vão fechar as portas.

De acordo com o novo projeto, é possível manter o público das Apaes em escolas comuns.

“A proposta de pôr fim ao ensino em escolas especiais, em nome da inclusão de crianças com deficiência mental ou graves transtornos de toda ordem, é uma destas ideias que aos olhos dos engajados parece genial mas que, na prática, será um desastre”, afirmou Arlen.

“Se não temos uma educação de bom nível para as crianças ditas “normais”, como abrir mão de uma escolha diferenciada, com profissionais especializados no atendimento a quem precisa de atenção especial?”, questionou.

O parlamentar ressaltou que não se trata de colocar em xeque a competência dos professores das escolas de ensino regular.

Mas que, exatamente, por respeitá-los é que não se pode concordar com essa política de inclusão.

Segundo o deputado, eles serão violentados em sua consciência profissional porque não terão condições de oferecer aos alunos especiais a educação de que necessitam e que, certamente, esta experiência será frustrante para todos.

Arlen já havia demonstrado seu interesse e envolvimento com o trabalho realizado pelas Apaes quando, juntamente com a empresa Transnorte, doou o primeiro ônibus, destinado ao transporte dos alunos, para a entidade de Montes Claros, quando ainda era o presidente da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (AMAMS).

“Educação é coisa séria.

A nossa Constituição atribui ao Estado e à sociedade a obrigação de provê-la.

É o que, até aqui, tem feito as Apaes e outras fundações espalhadas por todo o país, mais concentradas, é verdade, nas cidades de maior porte.

O que deveríamos discutir é a expansão deste serviço para que todos os que necessitam de escola especial, tenham acesso a ela.

Lamentavelmente, estamos nos movimentando para não deixar que o governo acabe com aquilo que a sociedade criou, cuidou e desenvolveu”, concluiu Arlen Santiago.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações do site do deputado Arlen Santiago (PTB-MG)