Em nota, Gim Argello nega irregularidade em transações financeiras

PTB Notícias 7/07/2007, 19:05


O suplente do senador Joaquim Roriz, o petebista Gim Argello, negou nesta sexta-feira que tenha recebido de R$ 1 milhão em dinheiro vivo, depositado em sua conta, sem comprovar a origem dos recursos.

Em nota oficial, o futuro senador pelo Distrito Federal afirma que os recursos são referentes a questões tributárias relacionadas a “divergências entre o contribuinte e a Receita Federal” – no que diz respeito à tributação sobre aplicações financeiras realizadas no extinto banco Cidade, no ano de 2001.

Na nota, Gim Argello afirma que é “fantasiosa” a afirmação de que a autuação da Receita tenha provocado a representação fiscal.

“Também não procede a informação de que Argello responderia a um processo na Justiça Federal movido pelo Ministério Púbico, conforme atesta a certidão negativa da Justiça Federal”, diz a nota.

Segundo Argello, o processo a que responde é de natureza administrativa.

O suplente alega que, na primeira instância, o processo teve recurso negado pela Delegacia Regional da Receita Federal do DF – e estaria agora aguardando julgamento no Conselho de Contribuintes da Receita.

A nota afirma que as aplicações do suplente são originárias de “transferências bancárias identificadas pela Receita Federal e não em dinheiro vivo”.

O suplente de senador afirma, na nota, que as afirmações dos auditores são “improcedentes e levianas” por levantaram a suspeita de que os recursos que provocaram a autuação da Receita Federal eram provenientes de propina.