Em seminário na Câmara, Alex Canziani defende educação em tempo integral

PTB Notícias 31/10/2013, 19:11


A Comissão de Educação da Câmara realizou na quarta-feira (30/10/2013), no Auditório Nereu Ramos, o Seminário Internacional sobre Educação em Tempo Integral, com a apresentação de experiências nacionais e internacionais sobre o tema.

O evento reuniu autoridades da área de ensino no Brasil e de países como Portugal, Espanha e França.

O presidente da Frente Parlamentar da Educação, deputado Alex Canziani (PTB-PR), dá o tom do seminário sobre educação em tempo integral.

“Um dos caminhos por uma educação de qualidade é a educação em tempo integral, que será uma mudança fundamental para o futuro do país.

Estudos mostram que os países que se destacam em educação de qualidade têm ensino em tempo integral”, destacou.

Canziani resume os trabalhos do seminário: “Durante o seminário ouvimos especialistas em educação do Brasil e de vários países, que nos apresentaram propostas para educação em tempo integral.

Depois devemos elaborar essas propostas para colocarmos em prática”.

O deputado também falou sobre as futuras escolas de educação integral, inclusive sobre o que poderão oferecer, “inclusive com espaços para música, teatro, dança e esportes.

Devemos levar essas instituições para todo o Brasil, principalmente nas comunidades mais carentes”.

Ainda de acordo com Alex Canziani, o professor deverá ser valorizado com a implantação do novo sistema.

“Temos que usar os recursos dos royalties para valorização da carreira do professor.

Nossos mestres têm que ser bem remunerados e muito bem preparados para o ensino integral.

” O parlamentar do PTB disse ainda que o governo precisa melhorar a infraestrutura das escolas.

A secretária de Educação Continuada do Ministério da Educação, Macaé Evaristo dos Santos, afirmou que vários municípios já aderiram ao “Mais Educação”, que é um programa indutor da educação em tempo integral.

Já são 30 mil escolas que contam com recursos do programa.

De acordo com ela, a prioridade do MEC é garantir educação em tempo integral para todos.

Os recursos para a ampliação do TI viriam dos 10% do PIB para o setor de ensino, previstos no projeto do Plano Nacional de Educação (PNE), já aprovado na Câmara e atualmente em análise no Senado.

Até 2020, o governo tem como meta oferecer educação em tempo integral em 50% das escolas do ensino básico e atender 25% dos estudantes.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações do site do deputado Alex Canziani (PTB-PR)Foto: Assessoria