Empresários paraenses manifestam apoio ao prefeito Duciomar Costa

PTB Notícias 4/04/2007, 14:14


O prefeito de Belém, o petebista Duciomar Costa, recebeu a visita de representantes da Associação Comercial do Pará (ACP), Altair Viera; da Federação das Indústrias do Pará (Fiepa), José Conrado; e da Câmara de Diretores Lojistas (CDL), Álvaro Cordoval; no fim da tarde desta terça-feira (03), no Palácio Antonio Lemos.

O grande objetivo da conversa foi encontrar soluções para o ordenamento dos vendedores ambulantes, em especial, no centro comercial de Belém.

Os empresários fizeram questão de manifestar seu apoio ao prefeito de Belém, para que questão seja resolvida e também apresentar suas propostas.

A reunião deveria ter acontecido no último dia 22 de março, mas em virtude de mudanças na agenda do presidente da Fiepa, José Conrado, que fazia questão de estar presente ao encontro foi adiada.

“Viemos receber o apoio da CDL, da Associação Comercial, da Federação das Indústrias, que sempre foram parceiras do poder público, no sentido de sempre buscar soluções para essa situação crítica que encontramos hoje em todo o Brasil, não é privilégio só de Belém, em relação à questão do uso das calçadas tirando o direito de ir e vir das pessoas”, afirmou o prefeito Duciomar Costa.

“Enquanto poder público municipal, mostramos para a Associação Comercial, para a Federação e à CDL, os projetos que estamos fazendo no sentido de procurar melhorar essa situação.

Falamos de algumas situações que já encontramos solução, como é o caso da Assis de Vasconcelos, onde já desobstruímos aquela via e quando assumimos existia um restaurante a céu aberto no local.

Conseguimos uma solução muito interessante devolvendo à população a Assis de Vasconcelos.

Assim como a Padre Eutíquio, que também era uma via totalmente obstruída e através do diálogo, do entendimento conseguimos dar uma solução”, exemplificou o prefeito petebista.

Duciomar reiterou o apoio do setor empresarial e a importância do diálogo para solução do impasse.

“Estamos trabalhando um projeto maior no centro do comércio, que a nossa intenção é dar a oportunidade que a feira dos importados, que esses ambulantes possam ter um espaço, e assim deixar a calçada para quem precisa.

Temos hoje uma situação realmente complicadíssima, sabemos que cada dia a questão piora, tem uma série de fatores que contribuem para isso, mas sem dúvida alguma, como poder público, estamos tomando as devidas providências, através do diálogo, do entendimento, que é o caminho para se buscar uma solução.

Nós passamos isso agora para essas entidades que se comprometeram, inclusive, de serem parceiras da prefeitura nesse projeto.

Quando existe união, existe sucesso no trabalho”, garantiu.

O prefeito de Belém também fez questão de ressaltar alguns dos projetos da prefeitura que já se encontram em andamento.

“Nós temos o antigo Espaço da Palmeira, um local que está em construção, onde já fizemos a licitação, a empresa vencedora já vai iniciar o trabalho, são 4 mil metros quadrados de área.

Temos logo ao lado um terreno que a prefeitura já fez a desapropriação, que tem cerca de 3 mil metros quadrados, onde já estamos levando aparelho municipal, o restaurante popular, o cine municipal, enfim vários tipos de atrativos para que haja fluxo de pessoas, e assim possa dar oportunidade de se colocar ali bastante ambulantes e dessa forma desobstruir o centro, esse que é o nosso objetivo”, explicou.

Além disso, Duciomar assegurou que o interesse de uma solução para o caso é de interesse de todas as partes.

“Nós esperamos fazer uma boa negociação com a classe dos ambulantes com quem temos conversado e que tem se mostrado flexíveis, eles também querem uma solução, um espaço.

E não pode ser qualquer espaço.

Não adianta você tirar de um lugar e botar em outro, também não se pode querer usar de violência, porque isso já foi usado no passado e se comprovou que não dá certo, não é correto.

Então, a solução será negociada.

É assim que vamos fazer”.

O prefeito também deixou claro que a fiscalização da venda de mercadorias ilegais não é competência do poder municipal.

O presidente da Fiepa, José Conrado, colocou a preocupação do setor, mas garantiu que o objetivo será alcançado.

“O problema do desordenamento e o crescimento dos ambulantes na área comercial preocupam muito as empresas que estão estabelecidas legalmente, e a gente veio além de abrir esse diálogo com o prefeito, viemos também trazer a nossa opinião, a nossa ajuda, a nossa parceria para o município de Belém, para que isso possa ser resolvido ou amenizado.

Quando a gente senta numa mesa para discutir, para conversar, é sinal que bons ventos vão soprar e que vamos encontrar uma solução satisfatória para todos”.

“O resultado de conversação é sempre bom, é sempre válido, é sempre correto.

Nós sabemos que o prefeito tem as suas dificuldades e não somos nenhum ingênuo de pensar que nós viemos colocar isso aqui ao prefeito e que amanhã de manhã não tem nenhum camelô na rua, não existe mais nenhum problema, não é assim Nós estamos trazendo soluções, que nós, achamos válidas”, ponderou o presidente da ACP, Altair Viera.

fonte: site da Prefeitura Municipal de Belém (PA)