Encontro Regional do PTB-Zona Norte SP fortalece nome de Marlene

PTB Notícias 13/06/2016, 11:57


Na noite de quinta-feira (09/06/2016), debaixo de um frio de 9 graus, o Partido Trabalhista Brasileiro de São Paulo deu pontapé inicial ao que seria a sua primeira pré-convenção municipal, ao realizar o Encontro Regional da Zona Norte no centenário Clube União dos Operários (fundado em 1917), que contou com a presença de milhares de lideranças e dos pré-candidatos a vereador da região.

Em uníssono, todos os presentes, filiados à legenda, reafirmaram o nome de Marlene Campos Machado – que teve quase 400 mil votos na eleição de 2014, como pré-candidata a prefeita de São Paulo.

Tal posicionamento foi destacado no grito das lideranças e no discurso de todos os componentes da mesa de honra: o presidente, deputado Campos Machado; deputado federal Arnaldo Faria de Sá; vereador Paulo Frange; Secretário estadual adjunto de Justiça, Luiz Madureira e o coordenador do partido na região Norte da Capital, Dr.

Manuel do Canto.

“Temos muito orgulho porque ela é a nossa pré-candidata, vai ser a representante de um povo, do homem e da mulher como um todo.

Ela tem o compromisso de representar nossos anseios, nossos sonhos e acima de tudo nossas esperanças.

.

.

Eu tenho a certeza de que, a partir de agora, nós, do PTB, seremos apenas protagonistas.

Chega de ser coadjuvante”, discursou o presidente do partido, que também é o secretário-geral da Comissão Executiva Nacional do PTB, deputado Campos Machado.

Já Marlene deu o tom histórico para o encontro com o nascimento de uma nova esperança para a cidade de São Paulo, que está sem uma prefeitura que tenha de fato tenha compromisso social com o paulistano:”Aqui, na Zona Norte, esse encontro, com certeza, vai marcar a nossa convenção e nossas eleições de 2016 e nossa história.

” Ela apontou ainda alguns problemas da cidade, questionando a falta de serviços públicos de qualidade: “O que acontece com uma cidade como São Paulo? São quase 12 milhões, a mais rica e mais populosa do país, que arrecada tantos impostos, por que as políticas não funcionam?”, afirmou a Marlene Campos Machado, que, em 2014, teve quase 400 mil votos – cerca de 100 mil na capital, apesar de uma campanha enxuta e com pouco tempo de TV.

O vereador Paulo Frange, por vezes líder do PTB na Câmara Municipal paulistana, parafraseou o presidente com um discurso na mesma linha da pré-candidata majoritária:”É o que diz nosso líder e presidente Campos Machado, é a hora de termos candidaturas próprias, bancadas fortes, a vereador, a prefeito e vice em todas as cidades e e isso que você está construindo”, afirmou.

Já para a capital, o vereador destacou que “Aqui [na cidade de São Paulo] é a hora e a vez da mulher.

A presença feminina com certeza é muito importante, na verdade todo o Brasil precisa de sensibilidade para tratar qualquer uma das suas chagas, qualquer um de seus problemas”.

E o deputado Arnaldo Faria de Sá, defensor dos aposentados, vez uma análise da conjuntura nacional.

Posicionou a importância do partido ter candidata majoritária em São Paulo, mas também apelou para a história:”Vamos continuar essa luta intensa para defender os direitos dos trabalhadores e dos aposentados.

.

.

o PTB de Getúlio Vargas, de Jânio, está vivo junto com vocês”.

Zona NorteSob um prisma regional, o coordenador do PTB na Zona Norte, Dr.

Manuel do Canto, que passara por dia difícil pela perda de sua irmã, destacou:”Façamos da Zona Norte uma das regiões mais importantes de São Paulo, porque ela sempre foi renegada, deixada para segundo plano, mas somos uma região pobre, de trabalhadores dedicados”.

Ao final, Marlene e ainda posicionou a militância: “Não é só vestir a camisa, é suar a camisa, para construirmos uma cidade mais digna, ética, com educação de qualidade para nossos filhos”.

Coragem e foco em novas liderançasAo falar da liderança e trabalho das mulheres do partido, o deputado Campos Machado afirmou que foi chamado de louco quando sugeriu à executiva do partido lançar o nome de Marlene ao Senado em 2014, apesar do histórico de sólidos trabalhos sociais, que ajudou mais de 10 mil famílias, ela não havia disputado eleições até então.

Na época, a crítica de alguns, segundo ele, ocorria essencialmente por conta da disponibilidade do governador Geraldo Alckmin (a quem tem como irmão) de articular que Marlene, em 2014, fosse a primeira suplente do Senador e atual Ministro de Relações exteriores, José Serra.

Mas Campos explicou:”Temos um movimento com mais de 500 mil mulheres, o maior do país e eu havia percorrido todo o Estado dizendo às mulheres que era a hora e a vez delas serem representadas no PTB.

Com qual cara eu poderia voltar de cidade em cidade se não cumpríssemos o que fora combinado com as bases do partido?”, afirmou, ao parafrasear Geraldo Vandré, dizendo que quem sabe faz a hora não acontecer.

Lealdade e trabalhoComo marca de trabalho e também do partido, a questão da lealdade, o líder Campos Machado fez um duro discurso em relação àqueles que não observarem tais práticas:”Não podemos mais aceitar a traição.

Não tem lugar mais para traidor.

Gente que é recebido com afeto, com apreço, entra na nossa família, entregamos a essa gente a nossa confiança, depositamos nas mãos dessa gente a nossa amizade, o nosso amor e, de repente, batem asas, esquecem das suas origens.

Voltam as costas e fingem que nós não existimos.

Enquanto eu for presidente do PTB nesse Estado não tem mais lugar para traidor”.

PresençasPaulo Pinhal e Roberto Davi (Clube União dos Operários); Fábio Remesso e Silvonei Amaro (coordenação do PTB Zona Norte); Mario Graf (Coordenação do PTB da capital); Pastor Bueno; Luiz Galvão (Sinditac Guarulhos); Morsa Amaral(Presidente da Confederação Brasileira de MMA); Barnabé Rodrigues (Sindicato dos Transportadores Comerciais Autônomos de Cargas Líquidas); Diego Laudano; Brás Pereira (São Paulo de Fato); João Carlos Dias (Jornal O Semanário da ZN); Serguei (PTB Santana); Carlos Santos (PTB Empresarial); Maurício Ludovico (PTB Freguesia do Ó); Norival de Almeida (PTB Sindical/Fetrabens); Lúcio Grosso (PTB vila Sabrina); Milton Missaka (PTB Oriental); Rejane Dias Torres (PTB Jaçanã); Fernanda Brito (PTB Vila Sabrina); Sergio Miqueleti (PTB Saúde); Osmário Clímaco(PTB Vila Maria); Agostinho Aguiar (PTB Casa Verde).

Dos pré-candidatos a vereador, estiveram: Josias, “Casquinha” (de Santa Isabel); Marcellie Dessimoni(Jabaquara), Jácomo Oslan; Clovis Reis; Fran Marçal; Xandão Viajante; Lia Márcia Pedrosa; Luci Adão; Siderval Marques; Dinho; Paulo Neme; Luiz da Cândida; Hugo Geraldine; Sargento Neri; Pai Guimarães; Eduardo Ribeiro; Marco Combertino; Henrique Jambo; Bruno Lisboa; Juarez; Clécio (PTB Diversidade).

Todos eles foram convidados ao palco, durante a fala do presidente, que citou a importância dos pré-candidatos a vereador “como soldados, os primeiros, a irem à guerra”.

A cerimônia foi conduzida pelo secretário estadual de Comunicação, o janista Enio Rocha.

FestaA Escola de Samba Unidos da Vila Maria se apresentou ao final do evento.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do PTB-SP Foto: Divulgação/Assessoria