Ensino médio precisa preparar alunos para a vida, diz Wilson Filho

PTB Notícias 25/11/2015, 19:20


Está pronto para ser votado no plenário da Câmara dos Deputados o projeto que estabelece jornada integral para os estudantes do ensino médio (PL 6840/13).

A proposta, que teve como relator na comissão especial o deputado Wilson Filho (PTB-PB), prevê, entre outros pontos, que o ensino médio em tempo integral deverá estar disponível em 50% das escolas e para 25% dos alunos em dez anos.

Na opinião do parlamentar, o ensino médio tem sido o maior gargalo da educação brasileira.

“É o único período da educação que não teve nenhum avanço nos últimos dez anos.

São três anos que preparam exclusivamente para um vestibular, e não deveria ser assim.

O ensino médio tem que preparar para a vida: seja para o mercado de trabalho, seja para a vida acadêmica, para entrar numa faculdade”, afirmou.

Segundo o deputado, o problema maior do ensino médio é a falta de atratividade para o estudante e para os professores, que são mal valorizados, mal pagos e maltratados em muitas escolas públicas.

“Os professores recebem muito pouco para transferir o conhecimento, que, para mim, é uma das funções divinas na sociedade: ele dá origem e cultiva a semente para todas as outras profissões existentes”, comparou.

Na opinião de Wilson Filho, na era da tecnologia, o ensino médio continua defasado.

“Hoje o mundo é totalmente diferente de 50 anos atrás, mas a sala de aula é exatamente igual.

Dentro de um celular existe tudo, e na frente do estudante, dentro da sala de aula, continua um quadro com um giz e um professor fazendo o impossível para tentar atrair a atenção dos alunos”, destacou.

O parlamentar afirma que é necessário mudar o ensino médio para que os estudantes percebam que essa etapa da vida escolar pode ser um grande passo para conquistar um bom emprego ou uma vaga em uma boa faculdade.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos DeputadosFoto: João Ricardo/Liderança do PTB na Câmara