Ernandes Amorim critica manobras do governo e defende Forças Armadas

PTB Notícias 10/11/2009, 8:01


A cessão do poder de polícia às Forças Armadas – Exército, Marinha e Aeronáutica – é o melhor instrumento no combate ao narcotráfico e tráfico de armas, principalmente nas regiões de fronteira, defendeu o deputado federal Ernandes Amorim (PTB), nesta segunda-feira (9/11), em discurso na tribuna, para relatar périplo na Amazônia organizado pelo alto Comando do Exército, e também para criticar as manobras do governo que tem postergado o aumento dos aposentados vinculado ao salário mínimo.

O parlamentar se disse convicto do propósito do novo papel das Forças Armadas.

“Nessa viagem a fronteira do Amazonas com a Colômbia ouvimos relatos sobre as drogas na região.

É uma questão de saúde pública, pois os traficantes misturam pó de vidro, ácido sulfúrico, cimento no refino da droga.

Isso é uma bomba para quem usa.

Então as Forças precisam ter poder de polícia para evitar que entre no país e vá aumentar a violência na disputa por territórios de traficantes”, defendeu Amorim.

Ele também criticou as políticas do governo federal que está gerando um Estado rico de filhos miseráveis, que dormem nas ruas e se alimentam nos lixões, de pacientes do SUS que se amontoam no chão dos corredores dos Prontos Socorros e Hospitais da rede pública, de escolas onde falta merenda, de professores que recebem um salário indigno, e de aposentados desrespeitados.

“O governo, do qual faço parte como base aliada, não pode ter discurso e prática diferente.

Tem beneficiado setores de elites e protelado decisões que beneficiam nosso povo trabalhador.

Digo isso em referência clara ao tratamento dispensado aos nossos aposentados.

Peço compreensão para que se vote o mais rápido possível o reajuste pretendido por eles”, disse Amorim.

O parlamentar também voltou a cobrar do governo federal a liberação das emendas.

“Nós estamos sendo desprestigiados.

O governo não liberou as emendas e ainda pegou o dinheiro para repassar a outras instituições.

Os municípios pequenos para onde direcionamos recursos estão sem atendimento, e o governo tem silenciado para essa situação.

Precisamos reagir em conjunto”, clamou Amorim.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Portal Rondônia Dinâmica