Ernandes Amorim protesta contra burocracia no combate ao desmatamento

PTB Notícias 9/03/2008, 19:43


O deputado Ernandes Amorim (PTB-RO), em discurso no plenário da Câmara, protestou contra o que ele chamou de “decisões equivocadas tomadas pelos burocratas do Planalto”.

O deputado referia-se ao caso das medidas de combate ao desmatamento na Região Norte, provocado pelos grandes plantadores de soja.

Segundo ele, a solução encontrada pelos burocratas foi a ação da Policia Federal e o corte de créditos.

“Como nas outras oportunidades, essa medida somente atinge os pequenos produtores, pois para os grandes latifundiários jamais faltou credito; e não se tem notícias de prisão de algum deles”, disse.

“Falta sensibilidade ou inteligência aos nossos burocratas, pois não se concebe uma medida dessa magnitude sem que seja dada ao pequeno produtor agrícola ou ao madeireiro uma alternativa de sobrevivência ou subsistência.

Sabemos todos que na Região Norte a agricultura familiar agrega um expressivo contingente de trabalhadores rurais, que migraram para lá a convite do Governo Federal, com uma campanha em todo território nacional, via televisão, rádio e jornal.

A chamada de ordem era: Integrar para não entregar.

Os assentados eram obrigados pelo Governo Federal, ao adentrar na gleba, a iniciar imediatamente a derrubada, sob pena de perder o seu lote caso isso não ocorresse.

E contavam com financiamento do Banco do Brasil”, revelou o parlamentar do PTB.

“Pergunto aos nossos burocratas: que alternativa de vida é dada aos nossos agricultores, que estão proibidos de desmatar, de retirar toras de madeiras e não têm créditos? Como vão continuar vivendo sem ajuda, sem produção, sem salários ou cestas básicas? Com essa decisão, somente lhes resta migrar para as periferias das cidades, aumentando as favelas.

Sem rendimento algum, acabam sendo tragados pela marginalidade e pelo crime.

Aliás, esse fato já é endêmico em nossas cidades.

Os pequenos agricultores e garimpeiros sobrevivem nas favelas graças à solidariedade, que é uma característica do nosso povo”, afimrou Ernandes Amorim.

“Faço um apelo dramático aos Ministros da área econômica no sentido de que seja formulada uma política especifica para minimizar os efeitos cruéis dessa tragédia anunciada, que já atinge um expressivo contingente da população rural do norte do País.

Por que não lançar na Amazônia um PAC para recuperação das nossas áreas degradadas? Haveria assim, de imediato, geração de emprego para milhares de trabalhadores.

Recuperaríamos parte das nossas matas, principalmente as matas ciliares, e nossos rios, hoje totalmente assoreados”, finalizou o deputado petebista.

Agência Trabalhista de Notícias