Fábio Schroeter: ‘Queremos uma saúde cada vez melhor em Campo Verde’

PTB Notícias 16/10/2013, 6:16


A Prefeitura de Campo Verde (MT), administrada por Fábio Schroeter (PTB), dobrou a média de recursos aplicada mensalmente na realização de ultrassom.

Graças a um gerenciamento eficaz dos recursos e ao aumento dos investimentos, a Secretaria Municipal de Saúde conseguiu, em apenas nove meses, dar fim a um problema que atormentava a vida de milhares de pacientes: a espera por exames de ultrassonografia, que, em alguns casos, era de mais de um ano.

“Tínhamos pedidos de 2010”, lembrou a gerente de Gestão Estratégica da Secretaria Municipal de Saúde, Graziela Cristina Padilha.

De acordo com ela, entre janeiro e setembro deste ano foram realizados 2.

045 exames.

O esforço da Secretaria de Saúde em acelerar o atendimento atingiu o objetivo desejado.

“A demanda reprimida de 2010, 2011 e 2012 foi zerada e hoje não temos mais fila de espera”, informou Graziela.

Atualmente, de acordo com a secretaria, o paciente aguarda entre uma semana e dez dias pelo atendimento.

“Para exames de mama e de gestantes não há tempo de espera”, destacou a gerente de Gestão Estratégica.

De acordo com a secretaria, o fim da fila de espera só aconteceu graças ao aumento dos investimentos feitos pela Administração Municipal na compra dos serviços de ultrassonografia.

“Informamos a situação ao prefeito Fábio Schroeter, e ele prontamente entendeu e nos atendeu”, destacou Graziela.

Queremos uma saúde cada vez melhor, diz prefeito Fábio SchroeterPara o prefeito Fábio Schroeter, acabar com o tempo de espera por exames representa um grande avanço e é meta da atual Administração fazer com que os pacientes não tenham que aguardar para ser atendido.

“O que nós queremos é um atendimento eficiente, pois sabemos o quanto é importante um diagnóstico rápido e eficiente”, ressaltou.

“E é isso que nós queremos: uma saúde de qualidade para a nossa população”, completou.

Para comprovar o interesse da Administração Municipal em acabar com a fila de espera, Graziela lembra que em média, o Campo Verde investia no ano passado R$ 8 mil na realização dos exames.

Agora, esse valor, em alguns meses, chega a ser cinco vezes maior.

“Em agosto de 2012 foram investidos R$ 9.

024,00″, informou.

“Em agosto de 2013 foram R$ 44.

830,00 e 747 pessoas atendidas”, completou Graziela.

Este ano os investimentos médios mensais estão na faixa de R$ 16.

022,00.

O aumento nos investimentos resultou, consequentemente, em um maior número de exames realizados.

De acordo com os dados da Secretaria Municipal de Saúde, em 2012 eram 135 por mês.

Este ano passou para 267.

Em nove meses, de acordo com Graziela Padilha, a Prefeitura investiu R$ 144.

203,00 em exames de ultrassom.

Atual Secretária Municipal de Saúde, Cleonice Drum Schenkel frisou que, por determinação da Administração Municipal, nenhum paciente deverá aguardar para ter acesso aos exames que são de responsabilidade do município.

“Conseguimos zerar o número de exames que estavam na fila de espera e pretendemos manter assim de agora em diante”, disse.

Eletroencefalograma e mamografia O esforço concentrado da secretaria não reduziu o tempo de espera apenas para os exames de ultrassonografia.

Na área de neurologia, atualmente, não há mais nenhum paciente aguardando por encefalograma.

Também não tempo de espera por mamografia.

Conforme informou Graziela Padilha, a situação atual é bem diferente da do ano passado.

“Em 2012 havia 1.

200 pacientes esperando por encefalograma e agora conseguimos zerar nossa fila”, informou.

Diagnósticos mais precisos De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a realização de exames como ultrassonografia, eletroencefalograma e mamografia é importante para que o médico possa ter um diagnóstico mais preciso e, consequentemente, um tratamento mais eficiente.

“Não adianta apenas a consulta, é preciso dar continuidade ao tratamento”, enfatizou Patrícia Alcântara Andrade, que até agosto era a titular da pasta.

Conforme lembrou a atual Secretária Municipal de Saúde, Cleonice Drum Schenkel, somente nos casos de exames que não podem ser feitos no município, ou aqueles em que os equipamentos não podem ser trazidos para Campo Verde, ou ainda nos casos em que a disponibilização de vagas por parte do governo do estado é pequena, ainda há tempo de espera.

Mesmo assim, segundo ela, o tempo em que o paciente precisa aguardar é curto, em se tratando do Sistema Único de Saúde.

No caso dos exames de tomografia computadorizada, de acordo com a secretária, o tempo de espera varia de 30 a 60 dias.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal da Prefeitura de Campo Verde