Falta de médicos em hospitais de Teresina é inadmissível, afirma Elmano

PTB Notícias 20/02/2011, 6:33


Uma reunião sem hora para acabar.

Foi assim que o prefeito de Teresina, o petebista Elmano Ferrer, classificou o encontro com os gestores da saúde, realizado na manhã deste sábado (19/02) na sede do Palácio da Cidade.

O petebista reforçou que quer uma administração “ágil e eficiente”, sobretudo na saúde.

E não descartou novas demissões no executivo do Estado.

Ferrer destacou que quer uma solução para os problemas dos hospitais da cidade, sobretudo no que diz respeito à superlotação, à qualidade dos atendimentos e à ausência de médicos.

“Não se admite falta de médicos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) determina que haja um médico para cada mil habitantes, Teresina precisaria de 800 e possui mil.

Temos um quadro maior do que é o exigido e a população ainda reclama dos atendimentos”, explicou, acrescentando que determinou à nova direção do Hospital de Urgências de Teresina (HUT) que melhore os atendimentos.

O presidente da Fundação Municipal de Saúde, Pedro Leolpoldino, destacou que a reunião setorial com os coordenadores das regionais e diretores dos hospitais é uma forma de avaliação do que está sendo feito e também para buscar soluções.

“Detectamos deficiências na urgência, emergência, o aumento no número de casos da dengue e precisamos buscar soluções para esses problemas.

Avançamos em alguns pontos, mas precisamos avançar ainda mais”, ressaltou.

Antes do encontro com os gestores da Saúde, o prefeito se reuniu com o embaixador da China no Brasil, Qiu Xiaoqi.

“Foi uma visita de cortesia para estreitarmos as relações diplomáticas com os chineses.

Eles manifestaram também o desejo de investir em Teresina e ficaram impressionados com o comercio da nossa capital”, disse o prefeito.

O embaixador já havia se reunido na noite da última sexta-feira com o governador Wilson Martins (PSB).

Com Martins, o embaixador sinalizou acordos de cooperação nas áreas de mineração, alimentos como a soja e energia.

Repartições públicas são focos de dengue, alerta presidente da FMS (BOX)Engana-se quem pensa que apenas nas residências é possível encontrar focos do mosquito Aedes Aegypty.

Segundo o presidente da Fundação Municipal de Saúde, Pedro Leopoldino, as repartições e logradouros públicos são focos do mosquito.

Por conta disso, a Prefeitura de Teresina já planeja ações específicas para serem executadas nesses locais.

A preocupação é ainda maior porque o número de casos de dengue na capital aumentou em 100%, comparando com o número registrado no ano passado.

Leopoldino destacou que a dengue sempre foi uma preocupação das autoridades, porque deve envolver também a sociedade.

“Pelo menos 82% dos focos do mosquito estão nas casas.

Então, a sociedade também precisa se mobilizar.

O poder público não pode fazer sozinho, a população também tem que fazer sua parte”, frisou, acrescentando que haverá uma reunião específica para se discutir a problemática da dengue e também alternativas para sanar o problema.

A idéia é envolver o Estado, igrejas, iniciativa privada e a população para “entrar em campo” para acabar com a doença.

fonte: Jornal O Dia (PI)