‘Falta gestão na Câmara de Cuiabá (MT)’, diz vereador Dilemário Alencar

PTB Notícias 6/09/2013, 7:10


Em entrevista concedida ao Blog do Antero na quinta-feira (5/9/2013), o vereador Dilemário Alencar (PTB-MT) afirmou que faltam gestão e observância do regimento interno ao presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, vereador João Emanuel Moreira Lima (PSD).

De acordo com o parlamentar, é inadmissível que sessões não estejam sendo realizadas em virtude do problema elétrico alegado pela presidência.

O problema com o fornecimento de energia elétrica se arrasta desde o último dia 29, coincidentemente data em que os 16 vereadores da base aliada votaram pela destituição de João Emanuel do cargo de presidente.

A sessão transcorreu normalmente durante o período em que estava sendo presidida pelo peessedista.

Foi encerrada por determinação dele.

No entanto, no momento em que o segundo vice-presidente, vereador Haroldo Kuzai (PMDB), reabriu a sessão, não havia mais energia no Parlamento.

Desde então, duas sessões já foram suspensas em função deste problema.

A presidência informou à imprensa que a falta de energia se dá porque um transformador da Câmara explodiu.

“Penso que está faltando capacidade de gestão do presidente para resolver o problema o mais rápido possível.

Basta ele observar o regimento interno.

Quando você não faz sessões e fecha a Casa para assessores, vereadores e populares joga o Parlamento contra a população.

E o povo já está dando sinais de revolta contra o que está acontecendo na Casa.

“De acordo com o regimento interno da Câmara, em seu artigo 3º, parágrafo primeiro, “comprovada a impossibilidade de acesso ao Recinto do Plenário ou causa que impeça a sua utilização, as Sessões Ordinárias e Extraordinárias poderão ser realizadas em outro local, por deliberação da maioria absoluta dos membros da Câmara”.

Pautados por essa possibilidade é que os vereadores Dilemário Alencar, Mário Nadaf (PV) e Renivaldo Nascimento (PDT) irão apresentar um requerimento para o presidente da Casa para que as sessões sejam realizadas em outro ambiente público.

Segundo o petebista, a presidência poderá escolher entre realizar as sessões ou em uma escola, ou em um sindicato ou na sede de uma igreja.

Assim, os trabalhos não precisam ficar suspensos enquanto o problema com o fornecimento de energia não se resolve.

“Queremos chamar a atenção do presidente para que não se chegue à próxima terça sem sessão novamente.

Isso não pode acontecer.

Na história do parlamento municipal nunca aconteceu da Casa ficar fechada por oito dias”, considerou Dilemário Alencar.

Em função de toda a polêmica na qual o Parlamento se envolveu, foi questionado a Dilemário se João Emanuel estaria se aproveitando do problema para tomar fôlego e tentar chegar a um acordo com o Executivo Municipal.

O petebista não quis polemizar.

Apenas disse que desde o dia 29, sessão na qual foi apreciado o afastamento do presidente, o clima é negativo entre os vereadores.

“Não quero fazer nenhum juízo de valor.

Estão dizendo que contam com um laudo que atesta os motivos da falta de energia.

Não aceitamos esse tipo de comportamento.

Faltam gestão e observância da presidência da Casa.

Vamos protocolar este requerimento para que não haja mais desculpas para não realizar as sessões.

Se falta energia, que realize em outro lugar.

Esta atitude da presidência está arrastando todos os vereadores e a imagem da Câmara para um profundo desgaste popular”, disse.

Todos os funcionários que chegam à Casa de Leis estão sendo avisados de que na haverá expediente.

Para Dilemário, falta transparência na Câmara.

“A defesa de ideias, o embate político são feitos no plenário da Câmara.

O parlamentar não tem tido o oportunidade de explicar o que está acontecendo.

A Câmara precisa ser transparente como uma casa de vidro, mas infelizmente ela não está sendo neste momento.

” * Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Blog do Antero