Flávio Rstom pede a implantação de testes rápidos de HIV e hepatite C

PTB Notícias 18/07/2013, 6:52


O vereador de São Caetano do Sul (SP) Flávio Rstom (PTB) está indicando ao chefe do Executivo que implante os testes rápidos de detecção de HIV e hepatite C na Rede de Atenção Básica de Saúde.

“É de extrema importância a realização desses testes para detecção precoce de doenças e melhoria do tratamento e orientação específica”, afirma o vereador Rstom.

Segundo Flávio Rstom, é de extrema importância a realização desses testes para detecção precoce de doenças e melhoria do tratamento e orientação específica.

Segundo o Departamento Nacional de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, pesquisas realizadas indicam que existem hoje no Brasil cerca de 630 mil pessoas vivendo com o HIV, o vírus da AIDS, e que, dentre estas, cerca de 255 mil nunca teriam feito um teste de diagnóstico e, por isso, não conhecem sua sorologia.

Assim, trata-se de medida preventiva e informativa, pois o diagnóstico precoce melhora a qualidade de vida do paciente e evita a disseminação da doença.

Além disso, mães soropositivas podem aumentar suas chances de terem filhos sem o HIV, se forem orientadas corretamente e seguirem o tratamento recomendado durante o pré-natal, parto e pós-parto.

Sabe-se que o diagnóstico tardio leva a uma imunodeficiência e pode desencadear infecções graves, que são, muitas vezes, fatais.

Atualmente, é na UBS o primeiro contato do cidadão com a saúde do município ou nela é o seu maior vínculo com a equipe de saúde.

Estando esses testes rápidos disponíveis diariamente, através da coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo, poderemos diagnosticar (em 30 minutos) precocemente a doença, evitando também sua disseminação.

Para tanto, é necessário equipe capacitada para o correto aconselhamento do paciente e posterior tratamento.

Ressalta-se que o teste de AIDS não deve ser feito de forma indiscriminada e a todo o momento.

O aconselhável é apenas quem tenha passado por uma situação de risco, como ter feito sexo desprotegido, compartilhamento de agulhas e seringas contaminadas, transfusão de sangue etc.

Após a infecção pelo HIV, o sistema imunológico demora cerca de um mês para produzir anticorpos em quantidade suficiente para serem detectados pelo teste.

Por conta disso, o mais aconselhável é que se faça o exame após esse período.

“Quanto à hepatite C, salienta-se que é uma inflamação nas células hepáticas (do fígado), considerada silenciosa, pois não apresentam sinais e sintomas clinicamente reconhecíveis.

Daí a importância do diagnóstico precoce, feito por meio de ações preventivas, como o teste, já que não há cura.

Sendo assim, contamos com o competente órgão, no trato desta questão”, concluiu o vereador do PTB.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal da Câmara Municipal de São Caetano do Sul