Fortunatti pretende transformar economia e combater prejuízos advindos da Covid 19

PTB Notícias 29/10/2020, 14:14


Imagem

Perfil

O PTB anunciou há pouco mais de um mês, a candidatura de José Fortunati à prefeitura de Porto Alegre, na convenção do partido.

Fortunatti é advogado, e já atuou como prefeito da capital gaúcha, vereador, vice-prefeito, além de ter sido eleito deputado estadual e deputado federal.

Nascido na Serra Gaúcha, filho de uma costureira e de um funcionário público, o candidato tem uma trajetória de estudo em escolas públicas, municipais e estaduais até à adolescência.

Desde cedo, começou a trabalhar para custear seus estudos e participou, ainda adolescente do movimento dos escoteiros do Brasil.

Foi presidente do Diretório Acadêmico dos Estudantes de Matemática e membro do DCE.

Entre 1979 e 1982 participou do movimento popular nas vilas da Grande Cruzeiro do Sul, alfabetizando adultos.

Além do direito, é formado em administração pública, de empresas, matemática, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Em 1985 foi presidente do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre, sempre envolvido em cargos de liderança desde a juventude.

Projetos e campanha

Fortunatti tem afirmado em entrevistas, que pretende buscar recursos em Porto Alegre, junto às instituições financeiras e iniciativa privada para alcançar soluções diante dos problemas agravados pela pandemia de Covid-19, em especial na saúde pública.

Ele acredita que haverá uma série de desafios, em decorrência da pandemia da Covid-19, e nesse sentido, a saúde seria, segundo ele, o primeiro setor a entrar em colapso, por falta de vacina, que, em princípio, deverá ser liberada até o final de 2020, mas ninguém tem garantias de que será colocada à disposição da população até o início de 2021. A relação com o governo federal ou outros países para fazer com que a vacina chegue o quanto antes vai ser um desafio do próximo gestor.

Fortunatti, também defende, que o segundo desafio da saúde é de que, durante esse período de pandemia, outras doenças ficaram represadas, porque as pessoas ficaram com medo de ir ao hospital (devido à contaminação por Covid-19). Agora elas começam a voltar para os hospitais e, consequentemente, o Sistema Único de Saúde (SUS) terá que operar ainda mais (sobrecarregado pelo número de pacientes), especialmente a partir de 2021

Outro ponto de dificuldade, segundo o petebista, é a questão do reflexo da crise econômica agravada pela pandemia, que muita gente perdeu o emprego ou teve o salário reduzido, deixando de contribuir com seus planos de saúde e previdência privada. Isso significa que tiveram que migrar obrigatoriamente da saúde privada para a saúde pública, o que provoca um inchaço do sistema de saúde.

O candidato pretende criar um fundo para microcrédito, que será mantido por bancos nacionais, como o Banrisul e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) – e internacionais – como o Banco Mundial e o Banco Interamericano de Desenvolvimento -além de doações de grandes empresas, como forma de combater a crise econômica gerada pelo Covid 19.

A idéia é criar parcerias, facilitar o crédito a micro e pequenas empresas, desburocratizar ao máximo os procedimentos para isso; fomentar a manutenção e abertura dos negócios locais.

Fortunatti também quer investir no turismo e na terceirização do licenciamento dos projetos da construção civil. No entanto, afirma que a desburocratização para projetos de construção civil não devem ignorar os limites legais da proteção ambiental.

Foto: Vinny Oliveira