Galindo sugere Silvio para vice da chapa de Maluf (PSDB) ou Brito (PSD)

PTB Notícias 11/06/2012, 15:02


Ex-secretário de Desenvolvimento Urbano e Governo, Silvio Fidélis chega nas proximidades das convenções partidárias na condição de candidato a vice rumo ao Alencastro.

Ele galgou espaço e se tornou o assessor de extrema confiança do prefeito de Cuiabá, Chico Galindo (PTB).

Quando ninguém esperava, Silvio se afastou do staff, na última semana, para ter legitimidade a fim de ser indicado a vice numa eventual composição com o médico e deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), ou até mesmo com Carlos Brito (PSD), que também deixou a secretaria de Comunicação do município para encabeçar a chapa do partido nas eleições de outubro deste ano.

Silvio nunca disputou cargo eletivo, mas sempre atuou nos bastidores.

Começou na condição de carregador de malas de Galindo, antes do petebista se tornar deputado, depois virou assessor parlamentar, e, com a chegada do “chefe” a vice e depois a prefeito de Cuiabá, passou a ser o homem de confiança do gestor, até mesmo por se tornar um dos secretários mais eficientes.

O que tem chamado atenção é que Silvio não é considerado uma liderança forte, com capilaridade eleitoral, para vir a ser indicado numa coligação.

Contudo, nos bastidores o comentário é de que o prefeito já o teria escolhido na condição de vice.

Outros nomes são lembrados pelo PTB para serem indicados ao posto, como o do ex-secretário-adjunto de Turismo, Carlos Haddad, e do vereador de segundo mandato consecutivo Clóvis Hugueney, o Clovito.

De todo modo, Galindo ganha força na indicação de Silvio porque abriu mão de concorrer à reeleição e, mesmo que tenha hoje elevado índice de rejeição, conta com o peso da máquina administrativa, que pode contribuir muito com o candidato que vier a representar a base governista.

Se por um lado o ex-secretário não possui densidade eleitoral, por outro se mostra uma pessoa simpática e faz a política da boa vizinhança.

Ele evita enfrentamento e, ao estilo de Galindo, possui perfil conciliador.

Mesmo com esta postura, porém, Silvio já contrariou muitos interesses e enfrenta a ira de companheiros do PTB, daqueles capazes de montar dossiês para derrubá-lo, em especial do período em que foi presidente da extinta Fundação de Promoção Social (Prosol), no início do governo de Blairo Maggi (PR), hoje no Senado.

Ivana Souza – Agência Trabalhista de Notícias, com informações do Jornal O Nortão On Line