Governo Bolsonaro cria rede nacional para combate à corrupção

PTB Notícias 17/05/2022, 16:39


Imagem

Uma iniciativa que contribui para integrar conhecimentos das polícias federal e das civis de todo o país, e que, a médio prazo, intensificará o combate a crimes de desvio de dinheiro público entre outros delitos.

A medida foi criada pelo governo federal, por meio do Ministério de Justiça e Segurança Pública (MJSP), e será chamada Rede Nacional de Polícias Judiciárias no Combate à Corrupção (Renaccor). A publicação foi feita nesta segunda-feira (16) no Diário Oficial da União.

“Entre outros avanços, por exemplo, a Renaccor possibilitará que polícias civis dos estados realizem ações conjuntas com (policiais) federais, sob coordenação da Seopi (Secretaria de Operações Integradas), da Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) e da Senajus (Secretaria Nacional de Justiça), disse o titular da pasta, Anderson Torres, durante o ato de oficialização da rede, na última sexta-feira (13).

Ele acrescentou que, por exemplo, as operações de combate ao crime organizado serão mais ágeis e sublinhou que também aumentará consideravelmente o efetivo de agentes envolvidos. Lembrou que esse tipo de parceria, até então, só ocorria de forma pontual, mas que agora as permissões para tais uniões de força serão mais céleres.

A recém-criada rede, segundo seus coordenadores, fortalecerá unidades especializadas no combate à corrupção, além parcerias entre os estados, para inibir ou debelar delitos como lavagem de dinheiro e corrupção em todos os níveis.
Suas finalidades atendem a “Ação Estratégica 5”, do Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social, sob responsabilidade da Senasp e uma das prioridades da atual gestão do Governo Federal, que estabelece o combate permanente e de forma inovadora a crimes do colarinho branco.

Torres apontou que, a curto prazo, “é relevante perceber que com a Renaccor haverá intercâmbio de boas práticas, experiências, protocolos, procedimentos e informações em geral, aspectos que nunca antes foram trabalhados de modo tão intenso, organizado e sistematizado, o que trará grandes ganhos não só para os policiais, mas principalmente para o bem estar e a segurança da sociedade brasileira”.

Os primeiros estados que formalizaram sua participação no sistema, em um formato inédito, foram Alagoas e Mato Grosso do Sul. 0 Distrito Federal, Acre, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte. Rio Grande do Sul, São Paulo, Sergipe e Tocantins deverão fazer isso nas próximas semanas. A expectativa é que o país todo esteja no grupo até o final do ano.

RESULTADOS
Desde abril de 2020, o Ministério da Justiça coordenou mais de 130 operações contra desvios e fraudes no uso de verbas públicas destinadas ao combate da Covid-19 e que resultaram na recuperação de mais de R$ 190 milhões.
O valor total de contratos de produtos e serviços investigados gira em torno de RS 4,5 bilhões. Foram cumpridos 220 mandados de prisão temporária. 21 de prisão preventiva e 1,9 mil de busca e apreensão em mais de 220 municípios do país.

(Com informações do site Direita Online)