“Governo deve colaborar com iniciativa privada para estimular crescimento”

PTB Notícias 12/06/2007, 8:27


Em pronunciamento nesta segunda-feira (11), o senador João Vicente Claudino, presidente do Diretório Estadual do PTB do Piauí, afirmou que “o governo não pode ser um entrave ao crescimento, e sim seu indutor”.

As forças produtivas, disse o senador, buscam uma maior eficiência do Estado em todas as suas dimensões, tanto legal quanto executiva, abarcando a confiabilidade nas instituições.

O governo, afirmou o senador, tem que colaborar com a diminuição da burocracia e da carga tributária, melhorar o uso do dinheiro público e o quadro fiscal, fatores que inibem os investimentos no país.

Os objetivos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), disse o senador, têm que se alcançados, e estão alinhados com o Plano de Desenvolvimento da Educação, pois sem educação a mão-de-obra jamais conseguirá ser qualificada para dar sustentação ao crescimento.

Com esses movimentos, na sua avaliação, o governo sinaliza para a iniciativa privada “que está se mexendo para não ser um entrave ao crescimento, e sim seu indutor”.

O parlamentar petebista citou como exemplo de iniciativa em que o Estado atua como indutor do crescimento as Zonas de Processamento de Exportação (ZPEs), dentre as quais destacou a de Parnaíba, no Piauí.

– As ZPEs são um instrumento poderoso para proporcionar condições adequadas para atração de investimentos estrangeiros, colocando os nossos empresários em igualdade de condições para enfrentarem a concorrência dos mercados internacionais e conter a saída de empresas nacionais, em busca de fatores de competitividade – afirmou.

João Vicente Claudino destacou o bom desempenho da economia nacional no cenário externo e frisou que as agências de classificação de risco cada vez mais consideram o Brasil imune a crises.

Ele citou ainda pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) que mostra que os bons frutos colhidos pelas empresas exportadoras que investem em inovação tecnológica atenuam o efeito cambial desfavorável.

fonte: Agência Senado