Graça Amorim explica critérios para o ‘Minha Casa Minha Vida’ no Piauí

PTB Notícias 25/03/2011, 7:37


As inscrições para o programa Minha Casa Minha Vida no Piauí atingiram a marca de 31.

446 formulários preenchidos até a meia noite da última quarta-feira (23/03), que era a data final para o procedimento.

As inscrições processadas pelo portal da Prefeitura de Teresina correspondem a 56.

528 pessoas envolvidas no processo, pois contam a quantidade de dependentes de cada pessoa que fez o cadastro.

Até o final de abril é a previsão para a divulgação das pessoas que serão contempladas.

Isso porque, segundo a secretária Graça Amorim (PTB), da Secretaria do Trabalho, Cidadania e de Assistência Social (SEMTCAS), todas as inscrições vão ser analisadas.

“Teremos que observar se os dados declarados pelos inscritos estão corretos e verificar em quais critérios eles se enquadram.

Há critérios determinados pelo Governo Federal e pelo Sistema Municipal de Habitação, da Prefeitura de Teresina”, explicou Graça.

Os inscritos vão concorrer aos conjuntos habitacionais que estão sendo concluídos.

São eles: Residencial Inglaterra, Vila Nova Teresina, Jornalista Paulo de Tarso Moraes, Conjunto Residencial Tabajaras e Terra Verde.

Já a zona Sul terá o Residencial Nova Alegria II, Cidade do Sul, Bem Viver, Portal da Alegria III, Portal da Alegria IV, Teresina Sul I e Teresina Sul II.

As primeiras unidades habitacionais a serem entregues são as do Conjunto Sigefredo Pacheco I e II e Residencial Wilson Martins Filho.

Estas faziam parte do primeiro cadastro realizado pela Prefeitura em parceria com a Caixa Econômica federal.

A secretária Graça Amorim informa que estão aptos a concorrer pessoas físicas que nunca foram contemplados por programas de moradia e que não possuam financiamento habitacional junto à Caixa Econômica Federal, com renda familiar mensal bruta limitada a R$ 1.

395 inscritas junto ao cadastro de demanda habitacional do Programa Minha Casa Minha Vida, realizado pelas quatro SDUs da Prefeitura de Teresina.

Depois de cadastrados, os candidatos serão avaliados por critérios nacionais estabelecidos pelo governo federal através do Ministério das Cidades na portaria Nº 140, de 5 de abril de 2010 e locais definidos pelo Conselho Municipal de Habitação e Interesse Social.

“Os que tiverem a maior pontuação, serão indicados para receber a casa.

A indicação se dará a partir da aplicação destes critérios.

Serão destinadas 5% das vagas para pessoas com deficiência e 3% para pessoas idosas que atendam aos critérios do programa; famílias residentes ou que tenham sido desabrigadas de áreas de risco ou insalubres”, informa a secretária.

Outros critérios como renda em salários mínimos, local de residência e tempo de moradia também são levados em consideração na seleção dos contemplados.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal 45 Graus