Isaac Tayah: ‘É preciso avaliar proposta do Plano Diretor de Manaus’

PTB Notícias 12/07/2011, 7:13


A Câmara Municipal de Manaus (CMM) reabriu, nesta segunda-feira (11/07), os trabalhos após o período de recesso.

As prioridades do parlamento até o final do ano são as mesmas pendências desde o início do ano, entre elas o Plano Diretor Urbano, questões referente ao transporte coletivo, Regimento Interno e até mesmo o volume de projetos em andamento e que ainda não foram submetidos à apreciação em plenário.

O presidente da Câmara, o vereador Isaac Tayah (PTB), quer que os vereadores se “conscientizem” a respeito da necessidade da avaliação do Plano Diretor, que está sendo elaborado pela Prefeitura e deve ser encaminhado à Câmara Municipal em novembro.

Do mesmo modo, ele acredita que os projetos pendentes podem ser “zerados” até o fim do ano, mas isso vai depender dos próprios parlamentares.

“Para alguns itens, o regimento interno prevê prazos, como no caso dos pedidos de vista, que depois de feitos têm que ser devolvidos em até 48h.

Não é o caso de quando um projeto está em uma comissão.

Não há prazo específico para que a comissão libere o projeto.

Eu, mesmo sendo o presidente, não posso fazer pressão para isso.

O andamento dos projetos, portanto, depende dos vereadores,, não de mim”, explicou.

CPIs Sobre as Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) propostas na Câmara, o presidente Isaac Tayah disse que era necessário avaliar “com cuidado” por conta da proximidade do período eleitoral.

“É importante que estes temas presentes nas propostas de CPI não sejam usado de forma política.

Não podemos esquecer que estamos prestes a entrar em ano eleitoral”, disse.

Ele lembrou do Fórum de Transporte e Trânsito, proposta elaborada para substituir, ainda que provisoriamente, a CPI do transporte coletivo.

“O fórum de trânsito e transporte vai acontecer na primeira semana de agosto e será uma oportunidade para que todas as dúvidas sejam sanadas, com a presença de técnicos que possam responder às dúvidas dos vereadores”, lembrou.

O Regimento Interno da CMM é outro que vai merecer atenção do parlamento ainda neste semestre, de acordo com Tayah.

Ele citou os itens que já são previstos, mas que precisam ser discutidos, como os prazos da tramitação de projetos.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal D24 AM