Jair Cezar coordena reuniões para discutir transporte público em Curitiba

PTB Notícias 26/05/2007, 18:12


O grupo de vereadores que analisa a proposta do prefeito de Curitiba, Beto Richa, sobre a organização do sistema de transporte coletivo da cidade, para substituir a lei municipal em vigor, voltou a se reunir nesta semana, para ouvir Maria Letizia Fiala, presidente da Comec, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba, e Alcidino Bittencourt Pereira, coordenador do órgão.

O encontro foi coordenado pelo vereador Jair Cézar, do PTB paranaense, para quem o Plano de Integração de Transporte precisa ser mais aprofundado.

“A logística e a engenharia de tráfego podem baratear a tarifa”, afirmou o parlamentar petebista, lembrando que a redução de passageiros pagantes pode ter explicação nas isenções concedidas a diversas categorias e aos maiores de 65 anos.

MetropolizaçãoPara Alcidino Bittencourt, a metropolização das cidades é um fenômeno mundial.

“As mudanças na produção, comercialização e no processo industrial também chegaram a Curitiba, cuja região metropolitana é composta por 26 municípios”, destacou.

Nas últimas três décadas, 200 municípios do Paraná perderam população.

A taxa de crescimento da capital está diminuindo enquanto sobe na região metropolitana”, disse.

Segundo o vereador Jair Cezar, a falta de terrenos amplos na capital do Paraná faz com que muitas indústrias se instalem nas cidades vizinhas, daí a necessidade de se incrementar o Plano de Desenvolvimento Integrado.

“O PDI é uma ação que vai garantir participação eficaz dos municípios que integram a região metropolitana, criando mecanismos para propostas de co-responsabilidade”, informou o vereador do PTB, destacando que será encaminhado aos demais vereadores.

A presidente da Comec afirmou que a integração é uma realidade e não pode ser ignorada.

“Não se pode discutir transporte deixando de lado a região metropolitana.

Já o diretor técnico do órgão, Joel Ramalho, explicou que é um equívoco pensar que a linha mais longa gera custo mais alto.

“O que importa é o número de passageiros pagantes em função do quilômetro rodado”, disse.

Ramalho concluiu salientando que o sistema é auto-financiável.

DiscussãoOs encontros, realizados semanalmente, vêm discutindo a proposta do prefeito para substituir a lei em vigor, de 1990.

Os vereadores já ouviram representantes da Procuradoria Geral do Município, Urbs e Ippuc, onde também foram recebidos e conheceram a evolução e operação do sistema de transporte e o planejamento urbano da cidade.

PlenárioO vereador Jair Cézar levou o assunto ao plenário da Câmara Municipal de Curitiba, destacando a reunião.

“Os parlamentares estão debatendo os entendimentos para a elaboração de substitutivo, após ouvir as partes interessadas e promover encontros públicos”, informou o petebista.

“Discutir o transporte coletivo em Curitiba é algo vibrante, tamanha a sua importância”, acrescentou Jair Cezar.

fonte: site da Assembléia Legislativa de Curitiba (PR)