Jaqueline Silva defende transparência entre colegiado e o secretariado de Fazenda do Distrito Federal

Agência Trabalhista de Notícias 29/03/2019, 10:22


Imagem Crédito: Rinaldo Morelli/CLDF

A Comissão de Fiscalização, Governança, Transparência e Controle da Câmara Legislativa do Distrito Federal deverá ter acesso ao sistema gestão DF em até 30 dias. O acerto entre o colegiado e o secretariado de Fazenda do DF aconteceu durante a reunião da comissão na quinta-feira (28), em que participaram, a convite, os secretários-adjuntos de Fazenda Marcelo Ribeiro e Patrícia Café, além do controlador-geral do DF, Guilherme Mello.

A presidente da comissão, deputada Jaqueline Silva (PTB), defendeu a “parceria com muita transparência” entre o colegiado e entidades governamentais afins com a CFGTC, como a Secretaria de Fazenda, Planejamento, Controle e Gestão do DF, a Controladoria-Geral do DF e o Tribunal de Contas do DF.

Foi nesse sentido que o vice-presidente da comissão, deputado Leandro Grass (Rede), pediu o acesso ao sistema de gestão do DF a fim de simplificar o trânsito de informações. Ao consentir com o acesso, o secretário-adjunto Marcelo Ribeiro disse que a diretriz do atual governo é “dar transparência a todos os atos”. Ainda nessa linha, o controlador-geral Guilherme Mello anunciou a reformulação do Portal Transparência, especialmente na “parte visual e no mecanismo de busca” para tornar as informações mais acessíveis ao cidadão. A intenção é “envolver a sociedade” para propiciar o “controle social” dos atos.

Instrumentos de fiscalização e controle devem ser anunciados, em breve, pela comissão, segundo Leandro Grass. Para tratar sobre o tema, Grass e Jaqueline Silva reuniram-se, neste mês, com a presidente do Tribunal de Contas do DF, Anilceia Machado. “Queremos aproximação e parceria com o Tribunal de Contas do DF”, reforçou a petebista.

Governança

Os trabalhos da comissão envolvem também, além da fiscalização, a governança, destacou o deputado Rodrigo Delmasso (PRB). Ele lembrou que, na legislatura anterior, a Comissão de Fiscalização, Governança e Controle foi a primeira a discutir a criação do Instituto Hospital de Base. De acordo com Delmasso, qualquer alteração de modelo de gestão, como foi o caso do instituto, é questão de governança e deve passar pela comissão.

Com informações da Câmara Legislativa do Distrito Federal