Jefferson Campos diz que gastos com violência superam Bolsa Família

PTB Notícias 17/06/2009, 8:28


O Deputado Jefferson Campos (PTB-SP), revelou ontem, em discurso no Plenário, que, em 2007, o setor público e a iniciativa privada gastaram cerca de R$ 92 bilhões devido à violência, superando dez vezes mais o orçamento Bolsa Família – o principal programa de transferência de renda do governo da União, que atendeu 11 milhões de famílias.

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), dos R$ 92 bilhões que escorreram pelo ralo da violência, cerca de R$ 28 bilhões foram arcados pelo setor público, enquanto que o setor privado arcou com um volume de gastos na ordem de R$ 61 bilhões e os Estados e Municípios com R$ 3 bilhões.

“Apesar desse esforço realizado pelo setor público e pelo setor privado, a criminalidade está presente de Norte ao Sul do Brasil, num ritmo crescente, devido o despreparo da polícia e a demonstração de força dos bandidos, ficando a convicção que a vitória está com o mal.

O que é ruim pode piorar.

Sem solução adequada, o mal se alastra e corre o risco de se tornar crônico.

Os pais temem mandar os filhos à escola porque têm uma certeza: a criança ou jovem saiu de casa e podem não voltar.

Eles são candidatos a bala perdida, o espancamento de gangues, a facadas e são vítimas inocentes do processo de deterioração do tecido social do qual são o elo fraco”, disse o Deputado do PTB.

Jefferson Campos lembrou que experiências exitosas demonstram que a utilização das instalações escolares para práticas úteis à comunidade – atividades esportivas, comemorações de datas notáveis e reuniões do voluntariado, reduzem o vandalismo, o consumo de drogas e a violência juvenil.

“Se o país está perdendo a guerra promovida por gangues organizadas e, por isso mesmo, a resposta deve ser dura e urgente, pois a população quer respostas reais e corajosas que resultem num continuado desmantelamento do crime organizado, que pratica o tráfico de drogas, terrorismo, seqüestros, lavagem de dinheiro e outras gravíssimas atitudes dolosas”, afirmou.

O mapeamento do crime constitui rumo importante para efetivar medidas inadiáveis.

É preciso que as providências incluam a participação da sociedade civil, principalmente, os pais e os responsáveis, os diretores e os professores.

Política pública de segurança existe talento, experiência, informação, diagnóstico consistente, elaboração de planos de curto, médio e longo prazo, além de uma gestão com recursos financeiros suficientes e com funcionalidade empresarial.

Precisamos construir uma sociedade livre, democrática e sem preconceitos e com exaltação da ética e do civismo, com fé e crença em Deus para que sobreviva a parcimônia e a esperança, a fraternidade e a prosperidade para todo o povo brasileiro”, concluiu o Parlamentar do PTB.

* Agência Trabalhista de Notícias