Jefferson Campos ressalta importância da reciclagem e do reaproveitamento

PTB Notícias 17/02/2009, 9:19


O Deputado Jefferson Campos (PTB-SP), comentou, em discurso no Plenário, a questão da reciclagem e do reaproveitamento dos recursos naturais.

“Tenho observado que as nações da Comunidade Européia, entre outras coisas, tratam a questão do meio ambiente com a devida seriedade.

Há anos implantaram a política dos quatro Rs: reduzir, reaproveitar, reutilizar e reciclar.

Hospitais, hotéis, restaurantes e os domicílios têm trituradores de legumes e verduras; o lixo orgânico vai para o esgoto sanitário e é transformado em adubo; os detritos humanos vão para outro destino, transformam-se em energia, e depois, em fertilizante.

A água servida é tratada antes de ser lançada em lagos, rios e mares.

Muitas voltam pelo processo de reaproveitamento, para ser consumida pelo povo.

Pouco se perde nem fica pelas ruas ferindo o nariz e bocas de lobo de ruas e avenidas que, quando sobrecarregadas por chuvas, transtornam a vida cotidiana da população”, relatou o Deputado petebista.

Campos informou também que existem dois tipos de vidros e de metais: os recicláveis e o não recicláveis: “No primeiro, garrafa, copo, pote de cosmético e vidro de perfume.

No segundo grupo, espelho e tubo de televisão.

O vidro reciclado vira novas embalagens de vidro.

No metal, o primeiro time reúne latas de bebidas e conservas, prego, parafuso, panela, fio elétrico e chapa metálica.

No segundo, clipe, grampo e esponja de aço.

O metal ferroso reciclado se transforma em lâminas de aço, usada em diversos setores.

O alumínio vira embalagem e matéria-prima para indústria de autopeças”.

“Há igualmente o plástico e papel reciclável e o não reciclável.

É importante notar que nos ambientes que não recebem tratamento adequado surgem diversos tipos de animais que podem multiplicar várias doenças.

O rato transmite a leptospirose, tifo e peste; a mosca varejeira, febre tifóide, verminose e gastrenterite; a barata e a formiga, giardíase e outras doenças gastrointestinais; o mosquito, a dengue, malária, febre amarela e leishmaniose; e o escorpião, nos idosos, pode causar sérias alterações respiratórias e cardíacas.

Que saibamos seguir bons exemplos para que possamos recuperar áreas degradadas e preservar nosso patrimônio ambiental para as gerações presentes e futuras”, afirmou Jefferson Campos.

“Por fim, ressalto os cinco municípios brasileiros onde as Prefeituras Municipais fazem chegar o serviço de coleta seletiva a 100% das residências: Curitiba (PR), Itabira (MG), Londrina (PR), Santo André (SP) e Santos (SP).

Curitiba é campeã em seleção e reciclagem.

Os caminhões recolhem apenas o lixo seco sem nenhum resto orgânico.

Segundo especialistas, o resultado é que o lixo fica mais limpo e acaba sendo vendido por um preço mais alto às indústrias de reciclagem”, concluiu o Parlamentar.

* Agência Trabalhista de Notícias