Jeruza apela para Alckmin e pede providências sobre falta de delegados

PTB Notícias 19/02/2014, 19:19


A cidade de Poá, no Estado de São Paulo, vem sofrendo com o revezamento no atendimento do plantão policial há mais de três anos; motivo seria a falta de efetivo também em cidades vizinhasA presidente honorária do PTB, vereadora Jeruza Lisboa Pacheco Reis teve aprovada, na noite desta terça-feira (18/02/2014), na Câmara Municipal de Poá, uma Moção de Apelo ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), solicitando que a esfera estadual paulista interfira na situação sobre a falta de delegados plantonistas em Poá e toda a região do Alto Tietê.

A reclamação reside no atendimento precário oferecido aos poaenses que necessitam de atendimento na delegacia.

Aprovado por unanimidade, o apelo é para que o chefe do governo paulista designe para a região do Alto Tietê delegados plantonistas, sobretudo, um profissional fixo para a cidade de Poá.

A propositura será encaminhada ao Palácio do Bandeirantes.

Segundo Jeruza, Poá vem sofrendo com o revezamento no atendimento do plantão policial há mais de três anos.

O motivo seria a falta de efetivo também em cidades vizinhas, entre elas, Itaquaquecetuba, Suzano e Ferraz de Vasconcelos.

As ocorrências policiais da cidade são direcionadas para a delegacia local pelos cidadãos e membros da Polícia Militar, quando esperam por horas para realizar procedimentos, sempre por falta de delegados plantonistas.

Viaturas, policiais e conselheiros tutelares passam boa parte do seu plantão na delegacia, quando deveriam estar atendendo a população.

O pedido reitera um requerimento de 21 de outubro de 2011, quando a petebista solicitou atenção especial à situação da segurança de Poá e cidades vizinhas em um requerimento de voto de apelo ao governador.

Na tribuna, a parlamentar não economizou críticas à situação e lamentou o fato que para ela representa falta de respeito com a população:”É inconcebível que Poá tenha de dividir um plantonista com as cidades vizinhas, sabemos que a demanda de Itaquaquecetuba e Suzano, por exemplo, é bem maior.

Não podemos permitir que essa situação continue assim, não vamos engolir goela abaixo sem ter voz e vez, se nós imploramos pelo atendimento, imagine a população.

Por isso, muitas vezes, as pessoas ficam desacreditadas na justiça, no serviço público.

É uma negligência do Estado, não podemos aceitar passivamente.

Falta respeito com os profissionais do Direito e com a população”, concluiu Jeruza, aclamada pelo público que se encontrava na galeria.

fonte: site do Diretório do PTB em São Paulo