João Vicente fala sobre seus trabalhos e vocações econômicas do Piauí

PTB Notícias 8/07/2013, 17:41


Em entrevista ao programa Conversa com o Senador, da Rádio Senado, que tem o objetivo de aproximar o cidadão do seu parlamentar, o senador João Vicente Claudino (PTB-PI) fala sobre a sua trajetória política, como se interessou pela política, do início da sua carreira, dos seus atuais trabalhos nas comissões no Senado e sobre as vocações do estado do Piauí.

Conversa com o Senador: Como foi a sua evolução profissional e como o senhor chegou à política?João Vicente Claudino: Quando nós, como cidadãos comuns, somos chamados a participar das decisões e da vida política, levamos a nossa experiência da nossa atuação profissional.

Vim da atividade empresarial, exerci cargo público, fui convidado a exercer um cargo de uma área que eu conheço: atração de investimentos.

Fui secretário estadual da Indústria, Comércio, Ciência, Tecnologia e Turismo do Piauí por três anos.

Pudemos implementar ideias que mobilizasse os investimentos para o estado e atraísse novas empresas, como também consolidassem as atividades econômicas já existentes, os empresários que fortalecem a economia do nosso estado.

Dentro dessa visão, vimos que nós como cidadãos, como empresários contribuímos para o desenvolvimento do ambiente em que vivemos, mas é no ambiente político que o limite dessa contribuição pode ser ultrapassado, no planejamento político para o desenvolvimento de médio e longo prazo do estado, é assim que podemos traçar um plano consolidado para um estado mais desenvolvido.

E foi dentro dessa expectativa que colocamos o nosso nome na eleição de 2006, para oferecer a nossa experiência e vontade, numa visão de estado diferente, já que o Piauí precisa diminuir sua deficiência não só no quadro da desigualdade nacional, mas temos que diminuir até as desigualdades regionais.

Muitos outros estados já se prepararam melhor, com planejamento.

Conversa: Senador, a gente nota que o Piauí na última década tem tido um desenvolvimento econômico, inclusive no Sul do Piauí, que tradicionalmente poderia ser a área menos desenvolvida.

JVC: Quando você vai administrar uma área muito grande, você tem os pontos positivos, as vantagens.

Temos no Piauí os maiores lençóis freáticos do mundo, onde você consegue captar água no subsolo sem bombeamento, pela própria pressão da água.

Por outro lado temos um semiárido, que há uma seca quase que constante.

Tem uma economia própria, mas o governo estadual com apoio do governo federal tem que desenvolver um planejamento para aquela região.

Então, o Piauí tem vocações muito bem definidas, deste o extremo Norte do estado ao Sul.

O Sul, como você colocou muito bem, é a região que conhecemos como Gurguéia, tem pela própria colonização do estado, a característica da pecuária, praticamente todo o rebanho do Piauí está localizado no centro para o extremo sul do Piauí.

A área de maior cerrado do Brasil hoje ainda a ser explorado, tem a junção do sul do Piauí, do noroeste da Bahia, da região de Barreiras, da região do Sul do Maranhão, de Balsas, e uma parte do Tocantins, que é uma das regiões do cerrado mais valorizadas do Brasil.

Então, lá nós temos uma economia própria, que tem que ser desenvolvida a passos bem largos.

Ainda há carências de infraestrutura, mas tem melhorado ano a ano.

Ainda temos um potencial mineral, não só em ferro na região De Paulistana como agora o governo federal licitou áreas para exploração de gás na Bacia do Parnaíba, onde pega boa parte do Centro-Sul.

Então, temos apenas numa região como essa um espectro de possibilidades de investimento muito grande.

O Piauí tem os seus desafios.

Nesses mesmos desafios ele apresenta as oportunidades que a gente possa mudar a realidade econômica.

Para ouvir a entrevista na íntegra, (http://www.

senado.

gov.

br/noticias/Radio/programaConteudoPadrao.

asp?COD_TIPO_PROGRAMA=&COD_AUDIO=415977) clique aqui.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria do senador João Vicente Claudino (PTB-PI)Foto: Moreira Mariz/Agência Senado