Jornal do Brasil: Gim aproveita o recesso e ocupa gabinete no Senado

PTB Notícias 24/07/2007, 11:12


O recém empossado senador Gim Argello, do PTB do Distrito Federal, está aproveitando o recesso parlamentar para tratar de despachos internos e traçar estratégias de articulação.

Ontem, passou boa parte da manhã em seu gabinete, no final da ala Afonso Arinos, em frente à liderança do Democratas.

A principal providência do dia foi a nomeação de Ciro Nunes de Freitas para chefe de gabinete.

Funcionário do Senado há 25 anos, Freitas chefiou os gabinetes dos ex-senadores pefelistas Jorge Bornhausen (SC), Divaldo Suruagy (AL) e Bello Parga (MA), de Gilberto Miranda (PMDB-AM), além da atual senadora Kátia Abreu (DEM-TO).

Como é de praxe, o chefe de gabinete deverá sugerir os nomes que comporão a equipe de Gim Argello até onde cabem nomeações de funcionários da Casa.

Ontem, Freitas já entrava em contato com os demais funcionários do Senado com os quais gostaria de trabalhar.

Os nomes serão levados para a apreciação de Gim, que poderá aprovar ou não as indicações.

Por enquanto não há mais ninguém confirmado.

A escolha de Ciro de Freitas ocorreu por análise de currículos disponibilizados pela área de Recursos Humanos do Senado.

O Regimento Interno exige que o chefe de gabinete seja do quadro da Casa.

Gim ainda poderá nomear assessores por meio de cargos comissionados.

Mas, por enquanto, ainda não confirmou demais integrantes que possam fazer parte da equipe.

Segundo sua assessoria, Gim esperará a indicação de funcionários por seu chefe de gabinete, para só depois pensar nos nomes que indicará sozinho para ocupar os cargos em comissão, muito mais numerosos.

Enquanto sua equipe é montada, Gim Argello estuda a possibilidade de viajar a São Paulo e Rio de Janeiro para encontrar com integrantes de seu partido e pedir reforço para quando tiver de enfrentar a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar, na volta do recesso.

A viagem também servirá para tratar de negócios pessoais.

Na sexta-feira, Gim deu o primeiro passo na busca por aliados políticos que o ajudem a enfrentar a enxurrada de denúncias que está por vir.

Procurou o senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA), integrante do Conselho de Ética e ex-relator do caso que apura se houve quebra de decoro parlamentar pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Cafeteira recebeu Gim pela manhã, mas não quis falar sobre o assunto.

Ontem, foi procurado novamente, mas sua assessoria informou que devido ao procedimento cirúrgico que sofreu durante o fim de semana, em São Paulo não poderia conversar, pois tem recomendações médicas de não sofrer qualquer tipo de estresse no período de recuperação.

Gim Argello assumiu seu mandato no Senado no dia 17, em substituição ao titular Joaquim Roriz (PMDB), que renunciou dia 4 para fugir de um processo de cassação por suspeita de envolvimento em esquema de fraudes do Banco de Brasília, desbaratado pela Polícia Civil do DF.

Gim também está sendo investigado por participação no esquema.

Uma hora depois da posse do novo senador, o PSol protocolou uma representação, na Mesa Diretora do Senado, com o pedido de abertura de processo por quebra de decoro parlamentar.

O corregedor da Casa, senador Romeu Tuma (DEM-SP), recebeu um dossiê assinado por quatro partidos políticos, um dia depois da posse, que trazia o levantamento de todas as denúncias que pairam contra Gim, que vão desde sonegação fiscal e enriquecimento ilícito, até desvios de dinheiro público e corrupção.

fonte: Jornal do Brasil