José Auricchio comemora índice de desenvolvimento de São Caetano (SP)

PTB Notícias 5/06/2014, 9:52


O petebista José Auricchio Junior, ex-prefeito de São Caetano do Sul (SP), comemorou o índice de desenvolvimento obtido pela cidade, que a coloca como terceira melhor do Brasil.

Os dados foram divulgados na segunda-feira (2/6/2014) pela Firjan (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro), mas têm como base 2011, penúltimo dos oitos anos do petebista à frente do Palácio da Cerâmica.

“Esperamos que esses resultados, que revelam excelência nos serviços públicos oferecidos, sejam mantidos”, disse Auricchio.

O IFDM (Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal) considera os patamares das cidades nas áreas de saúde, educação, trabalho e renda.

São Caetano fica atrás apenas de Louveira e São José do Rio Preto, ambas do interior de São Paulo.

“A gente consegue falar que essa cidade fornece aos seus moradores a excelência nos serviços básicos de Saúde e Educação”, disse o especialista da Firjan em Desenvolvimento Econômico, Jonathas Goulart.

“Esse estudo possui muito dos números auferidos também no IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de São Caetano, que já está consolidado graças à atuação administrativa eficaz que colaboramos e colocamos em prática”, salientou Auricchio.

O ex-prefeito destacou principalmente os investimentos feitos no setor de saúde para obtenção do desempenho.

“Foi um processo contínuo de aplicação de verba e planejamento sério.

No último ano do segundo mandato (2012) foram investidos 30% do Orçamento na saúde (o dobro do determinado por lei)”, discorreu.

Hoje secretário de Estado de Esporte, Lazer e Juventude, José Auricchio frisou ainda que, quando assumiu o governo municipal, em 2005, os índices de mortalidade infantil eram de 16 a cada 1.

000 crianças nascidas vivas e deixou a administração com quatro a cada 1.

000 nascimentos.

Sobre as notas em educação, o petebista afirmou que sua gestão realizou ações de “aprofundamento forte” que culminaram em índices positivos, como erradicação do analfabetismo.

“Ampliamos as vagas de ensino infantil em tempo integral, trouxemos a Fatec (Faculdade de Tecnologia) para a cidade, além dos programas sociais que se cristalizaram em 2011, ou seja, foi uma somatória de projetos que nos deu essa condição”, analisou Auricchio.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Diário do Grande ABCFoto: Divulgação