José Geraldo comemora fim da CPMF e critica carga tributária de Tocantins

PTB Notícias 18/12/2007, 10:06


O deputado estadual José Geraldo (PTB/TO) que, desde o primeiro dia de mandato vem debatendo sobre uma política tributária fiscal mais justa, subiu à tribuna na útlima semana, para comemorar a decisão do Senado Federal em rejeitar a continuidade da CPMF.

Ele, que também defendeu o fim do imposto durante a reunião da Executiva Nacional do PTB, ao lado da relatora da matéria, senadora Kátia Abreu (DEM), reforçou que a população carente é a mais atingida com a cobrança da taxa.

“A CPMF é um imposto pernicioso que impede o desenvolvimento das empresas e do desenvolvimento sustentável do país.

Inibe a geração de emprego e uma distribuição de renda mais justa a comunidade brasileira”, criticou o petebista.

O parlamentar argumentou que é preciso diminuir a carga tributária do país e criar condições para que as empresas brasileiras consigam competir com as empresas internacionais, já que o elevado índice de tributos não favorece o crescimento das atividades produtivas.

“Não dá pra fazer crescer, gastando dessa maneira.

Não dá pra fazer desenvolvimento sustentável com carga tributária altíssima, sufocando as empresas e os empreendedores”, enfatizou.

O deputado também protestou contra o aumento de tributos para as classes produtoras e voltou a defender os investimentos na infra-estrutura.

“Os grandes projetos desse país, obrigatoriamente, passam pela geração de energia e pelos investimento na malha ferroviária, hidroviária e rodoviária, bem como nos aeroportos e portos brasileiros”.

Cenário Estadual – Com relação ao Tocantins, José Geraldo comemorou a redução das taxas do DETRAN, denunciada por ele, no mês de março, e alertou os parlamentares para os valores praticados atualmente pela JUCETINS e pela ADAPEC, que atrapalham o desenvolvimento do micro empresário e do produtor rural tocantinense.

“Esperamos que, assim, como o governo reconheceu as altas taxas do DETRAN, ele também repense a maneira de governar, reduzindo o gasto excessivo com os comissionados e investindo nas áreas que realmente o Estado precisa” ressaltou.

Para o deputado, mesmo o Tocantins sendo um estado com potencial hídrico e energético, é necessário uma postura mais firme do governo quanto à utilização dos seus recursos naturais e dos investidores, principalmente, quanto à atual carga tributária.

“O que nós precisamos não é aumentar impostos, não é aumentar carga tributária e sim aproveitar bem o dinheiro que já existe”, finalizou o deputado.

O parlamentar finalizou seu discurso, afirmando que é contra qualquer tipo de aumento de tributo, seja imposto ou contribuição, e justifica argumentando que o alto custo Tocantins inviabiliza a vinda de novas indústrias e demais empresas.

Agência Trabalhista de Notícias