José Geraldo defendeu confrontar a diretoria do Consórcio Ceste

PTB Notícias 27/11/2009, 11:16


“Apesar de todo o desenvolvimento que está sendo gerado pela Usina de Estreito, promovendo empregos, riquezas e mais energia para o Brasil, não podemos nos esquecer das comunidades que estão sofrendo os impactos ambientais naquela região”.

Foram com estas palavras que o deputado José Geraldo (PTB-TO), defendeu confrontar a diretoria do Consórcio Ceste (Consórcio Estreito de Energia), responsável pelas obras da usina, e o grupo de impactados da região de Palmeirantes, que reclama que a empresa deixou sem indenização alguns grupos daquela região.

O deputado, que acompanhou a comitiva de parlamentares à visita ocorrida dia ,26/11, à usina, participou, na semana anterior, de audiência pública no município de Palmeirantes, onde ouviu os impactados.

“Ouvimos quase 100 pessoas, que disseram que, de forma pacífica, farão manifestação para não deixar nenhuma obra continuar no município até que esta situação seja resolvida”, alertou.

Na tribuna, José Geraldo defendeu ainda a permanência da contrapartida de 0,5% de compensação ambiental para os Estados do Tocantins e Maranhão, e não para o Estado da Bahia, conforme foi anunciado pelo Instituto Chico Mendes e o Ibama, responsáveis pela destinação desta contrapartida.

“A obra está avaliada em 3 bilhões, isto significa que serão cerca de 18 milhões de compensação ambiental, dinheiro que poderia ser utilizado para sanear as necessidades dos impactados e melhorar sua qualidade de vida”, concluiu, convocando todos os deputados a fazer gestão junto aos órgãos ambientais e ao governo para solucionar este impasse.

Agência Trabalhista de Notícias