José Múcio diz que governo tem “consciência” sobre excesso de MPs

PTB Notícias 5/02/2009, 17:06


Depois das críticas dos novos presidentes da Câmara e do Senado ao excesso de MPs (medidas provisórias) editadas pelo Poder Executivo, o ministro José Múcio Monteiro (Relações Institucionais) disse nesta quinta-feira que o governo federal tem “consciência” de que precisa reduzir a quantidade das MPs.

Múcio afirmou que, apesar de o governo já ter tomado providências para diminuir a edição das medidas provisórias, vai receber novas sugestões dos presidentes da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), e do Senado, José Sarney (PMDB-AP), para mudanças no modelo atual.

“O governo tem consciência de que precisa diminuir [as MPs], já tomou providências para que isso acontecesse.

O presidente Sarney fez algumas sugestões, disse ao presidente [Lula] que precisávamos modificar um pouco o rito delas, vai se reunir com Temer para ver o que eles desejam e apresentar ao Executivo para ver aonde é que nós podemos somar.

” Múcio disse que, como Temer e Sarney são pessoas “experientes” no comando do Legislativo, o governo vai manter nos próximos anos com os parlamentares um trabalho de parceria.

“As duas Casas estão em mãos experientes, homens que já experimentaram presidi-las, o governo está consciente de que vamos fazer um bom trabalho para o Congresso”, afirmou.

Em reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira, Temer e Sarney reclamaram do excesso de MPs.

O presidente do Senado chegou a classificar de “inaceitável” a quantidade de medidas, o que acaba por paralisar as atividades do Legislativo.

Cargos Múcio descartou a possibilidade de ofertas de cargos no governo aos partidos da base aliada governista que saíram derrotados na disputa pelas presidências da Câmara e do Senado.

Nos bastidores, porém, o ministro trabalha para acalmar a base especialmente no Senado, onde o senador Tião Viana (PT-AC) disputou a presidência da Casa com Sarney –que venceu o petista.

“Os espaços estão todos preenchidos, o PMDB é grande parceiro, o PT é grande parceiro, o importante é mobilizar a todos porque vamos ter um ano difícil e precisamos do empenho de todos”, afirmou.

fonte: Folha Online