Jovair Arantes ressalta importância de inclusão da Venezuela no Mercosul

PTB Notícias 19/12/2007, 10:11


O deputado Jovair Arantes, líder do PTB na Câmara, revelou, em discurso no Plenário, seu desejo em ver o ingresso da Venezuela no Mercosul.

“Se esta respeitável e feliz tradição mais uma vez prevalecer, como espero, o Senado Federal (a exemplo do que já fizemos na Câmara dos Deputados) deverá aprovar, sem demora, o ingresso da Venezuela no Mercosul.

Será uma decisão ditada por realidades geoeconômicas e geopolíticas que transcendem as paixões ideológicas do momento ou as idiossincrasias dos governantes da hora”, disse o Deputado.

Jovair Arantes ressaltou que a integração comercial e infra-estrutural (viária, logística e energética) da América do Sul passa, necessariamente, pela intensificação dos laços entre a Venezuela e os seus vizinhos, com destaque para o Brasil.

“Afinal, ela é hoje o nosso terceiro parceiro comercial na região e o destino de R$ 20 bilhões em investimentos brasileiros diretos.

Sua entrada no bloco, conforme o abalizado parecer do professor Aldo Fornazieri, da Escola de Sociologia e Política de São Paulo, totalizará 76% da produção sul-americana integrada ao Mercosul”.

Para o parlamentar do PTB, está correto o padrão de relações bilaterais adotado pelo governo do Brasil e conduzido pelo Itamaraty.

Segundo ele, o engajamento construtivo é opção mais sábia que a do cordão sanitário.

“Dada a personalidade mercurial do coronel-presidente Hugo Chávez, ele poderia até mesmo ser tentado a reagir à sensação de alienação regional buscando parcerias extracontinentais indesejáveis com regimes como o iraniano.

Isso atrairia a ira dos Estados Unidos sobre este pedaço das Américas e o mergulharia na instabilidade e na insegurança, fechando as portas, em definitivo, para a prosperidade e a paz”, afirmou Jovair Arantes.

“Os líderes passam, mas os países (e os interesses dos povos) ficam.

E, por falar nisso, o recente percalço colhido pelo chavismo nas urnas traduz uma oportunidade discreta, mas nada desprezível para o Brasil, sob a liderança moderada e programática do presidente Lula.

Nós, brasileiros, que já passamos pela triste experiência do regime autoritário e lutamos, dia a dia, para aperfeiçoar nossa democracia, precisamos acreditar na força gravitacional do seu exemplo, sem medo de nos relacionar com qualquer país, desde que isso traga vantagens para o nosso desenvolvimento.

Sem a pretensão de servir de palmatória do mundo ou patrulha ideológica dos outros”, concluiu o deputado petebista.

Agência Trabalhista de Notícias