Juventude do PTB de Alagoas elabora manifesto para candidatos

PTB Notícias 6/07/2014, 8:30


Num encontro realizado na tarde da última quinta-feira, 03/07, no Hotel Tambaqui, representantes da Juventude do PTB (JPTB) de vários municípios alagoanos aprovaram um manifesto que será entregue aos candidatos da Frente de Oposição, da qual o PTB é integrante, com o resumo das principais demandas que afetam a população jovem de Alagoas e destacando a necessidade de políticas públicas para superar problemas graves como a violência.

A reunião contou com a presença de líderes estudantis de escolas do ensino fundamental, médio e de nível superior; políticos jovens, como o prefeito Bruno Pedro, de Craíbas, e o vereador Jorge Mello, de Marechal Deodoro, e do senador Fernando Collor, presidente estadual do PTB e o primeiro a receber o manifesto.

O documento pede a expansão da Universidade Federal como forma de ampliar o acesso da juventude ao ensino de nível superior; escola em tempo integral; gestão democrática; atenção à saúde da população jovem e às demandas do movimento negro e LGBT; políticas e controle da violência em geral, entre outros itens.

“É um documento que nasceu de muitas discussões, muitas reuniões para debater os problemas que afetam os jovens alagoanos, com a participação dessa juventude que está aqui”, disse o vice-presidente estadual da JPTB, Neto Vasconcelos.

“Precisamos de políticos que tratem os problemas da juventude com atenção especial.

Sou prefeito de um município pobre – Craíbas – e sei da importância de se estabelecer políticas públicas para os jovens, de se ter escolas, de se ter áreas de esporte e lazer.

É muito importante termos um senador que esteja preocupado com isso e que, além do mais, é do nosso partido”, disse o prefeito Bruno Pedro, presidente estadual e vice-presidente Nordeste da JPTB, referindo-se ao senador Fernando Collor.

O senador falou da sua preocupação com as estatísticas que apontam Alagoas no topo da listas dos Estados onde mais se matam jovens, e disse que não é possível mudar esse quadro se não houver mais investimentos em educação de qualidade, na geração de emprego e na criação e manutenção de espaços para a prática de esporte e lazer.

E lembrou que foi prefeito de Maceió ainda muito jovem – aos 29 anos – mas que já entendia a educação como o instrumento de transformação da sociedade.

E citou também o projeto Escola em Tempo Integral, que implantou quando foi presidente da República, mas que acabou sendo relegado pelos seus sucessores.

“Era um projeto ousado, onde a escola era um espaço pleno de cidadania.

Lá, a criança tinha quatro refeições, e o pai ou a mãe, que ia levar na escola, também podia tomar café com o filho.

A criança tinha esporte, lazer e educação formal, alimentação e segurança, o dia inteiro na escola, enquanto os pais trabalhavam.

Construímos 500 dessas escolas, mas o projeto não teve continuidade”, disse o senador.

Ele destacou, também, a capacidade transformadora da juventude, lembrando que tanto a sua eleição quanto o impeachment que sofreu, são exemplos disso.

“Essa força que a juventude tem, essa rebeldia – falo da rebeldia produtiva, com causa – tem que continuar existindo, para que haja transformação”, disse ele.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Gazeta Web Foto: José Ronaldo