Kelly Moraes declara situação de emergência por causa da seca

PTB Notícias 9/05/2009, 8:30


Sem chuvas significativas há 50 dias, o município gaúcho de Santa Cruz do Sul entrou em situação de emergência em razão das perdas causadas na agricultura.

O decreto foi assinado nessa sexta-feira pela prefeita Kelly Moraes (PTB) e aguarda a homologação pelo governo do Estado.

Em cinco dias devem ser apresentados levantamentos com os números reais das perdas.

Pelos dados parciais da Defesa Civil, pelo menos 20% da produção de leite e quase toda a lavoura de milho plantada para a safrinha foram perdidas.

A falta de água nas comunidades do interior é outro problema que se agravou.

Por dia, a Secretaria de Meio Ambiente faz pelo menos cinco entregas nas áreas rurais onde a água se tornou escassa.

Conforme o coordenador municipal da Defesa Civil, José Ipê da Silva, 12,8 mil pessoas já foram atingidas em praticamente todas as localidades rurais.

“É uma situação muito grave.

Pelos levantamentos que fizemos no decorrer da semana, deu para notar as proporções das perdas”, explica.

O decreto da prefeita vai ser encaminhado para análise da regional da Defesa Civil, em Santa Maria, e depois avaliado pela Estadual.

No Rio Grande do Sul 196 municípios estão em emergência por causa da estiagem, que afeta 1 milhão de pessoas.

Até o último levantamento divulgado pelo órgão, já haviam sido perfurados 207 poços artesianos em 79 municípios.

A Secretaria Extraordinária da Irrigação e dos Usos Múltiplos da Água informa que já implantou mais de 300 microaçudes e 288 cisternas.

Foram investidos, até agora, R$ 6 milhões nessas obras.

Estão planejados mais 3.

860 microaçudes e 2 mil cisternas – ações incluídas no Programa Estruturante Irrigação é a Solução.

O secretário de Agricultura de Santa Cruz, Ademir Santin, está preocupado com os danos causados nas lavouras e também nas pastagens.

Além dos prejuízos imediatos, ele aponta os que podem ser causados nos meses de inverno, quando os animais requerem mais alimento.

“Mesmo com chuva agora, ainda teremos perdas mais adiante”, prevê.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações da Gazeta do Sul