Lei proposta por Reizo sai do papel e garante vacina contra HPV no AM

PTB Notícias 27/07/2013, 7:24


O Papiloma Vírus Humano, mas conhecido como Vírus HPV, é o grande vilão na vida da maioria das mulheres que descobrem estar com câncer de colo do útero.

A infecção causada pelo HPV, transmitida na relação sexual, provoca o aparecimento de verrugas com aspecto parecido ao de uma pequena couve-flor nas regiões oral (lábios, boca, cordas vocais, etc.

), anal, genital e da uretra.

Segundo especialistas, para que as mulheres evitem doenças como estas o ideal é usar camisinha e não manter relacionamento com vários parceiros, mas, o que garante a eficiência da prevenção, é a vacina que está disponível apenas nas clinicas particulares e custa em torno de R$400 reais.

O número sempre alarmante chamou a atenção do Vereador de Manaus (AM), Reizo Castelo Branco (PTB), e o motivou na 15ª Legislatura em 2010, a criar o Projeto de Lei 105/2010 “Vacina contra o HPV”, que obriga a imunização, gratuitamente, de meninas na idade de 11 a 16 anos, estudantes da Rede Municipal de Ensino.

Esta foi a forma encontrada por ele para garantir a prevenção da saúde feminina na cidade de Manaus.

Reizo passou por diversas dificuldades para ver seu projeto aprovado.

Primeiro foi barrado na 3ª Comissão de Finanças, Economia e Orçamento da Câmara Municipal de Manaus e ainda passou por três pedidos de vistas dos vereadores-médicos que queriam conhecer detalhadamente os fundamentos da proposta.

Depois de tudo isso foi vetado pelo ex-prefeito Amazonino Mendes (PDT).

Mas, o autor do projeto não desistiu.

Conversou com os parlamentares da Câmara e argumentou sobre a preocupação com o câncer de colo de útero que estava vitimando muitas mulheres na região Norte do Brasil e que precisaria da união de todos para que esta Lei contribuísse de forma singular para a saúde da mulher.

Eles entenderam a importância da vacina, derrubaram o veto e aprovaram a Lei por unanimidade no plenário.

Primeiro Estado a imunizar contra o HPVNo dia 28 de agosto de 2012, o projeto saiu do papel e se tornou a “Lei 311/2012 Vacina contra HPV”.

A Prefeitura prometeu que iria cumprir Lei no município a partir de 2013, e está cumprindo.

A vacinação já está marcada para Agosto e ganhou um parceiro importante: o governador Omar Aziz.

Ele ampliou a campanha para as redes Estadual e Particular.

O Amazonas vai ser o primeiro Estado a implantar o Programa de Imunização contra o HPV.

Os primeiros lotes da vacina chegaram nesta quinta-feira (25), e estão acondicionados na Secretaria de Estado da Saúde (SUSAM).

O calendário da Campanha de Vacinação contra o HPV em meninas, de 11 a 13 anos, matriculadas nas redes pública e particular de ensino, começará com a aplicação da primeira dose da vacina no período de 10 a 30 de agosto.

A segunda de 10 a 30 de outubro e a terceira de 10 a 28 de fevereiro de 2014.

O vereador relata a importância da Lei.

“Quando achava que não conseguiria fazer valer esta Lei para imunizar as mulheres, confesso que fiquei um pouco frustrado.

Não porque o fato iria me promover, mas, porque sempre me preocupei com as pessoas.

A luta valeu a pena, porque as mulheres precisam dessa proteção.

Sem duvida alguma, a conquista não é minha, mas, de todas elas que acreditam no trabalho que desempenho com seriedade pelo povo da nossa cidade”.

Exames de RotinaPapanicolau: É indispensável que toda mulher faça o exame Papanicolau pois, além de utilizado para diagnosticar o HPV, também é importante para prevenir câncer do colo do útero.

Colposcopia: Que amplia 20 vezes a imagem da vagina para flagrar lesõesBiópsia: analisa as alterações a partir de uma pequena amostra do tecido.

Captura híbrida: Essa técnica acusa a presença do HPV mesmo se não houver sintomas e determina se o micro-organismo é de alto ou de baixo risco.

Fique atento* Lembre-se que o uso do preservativo é medida indispensável de saúde e higiene não só contra a infecção pelo HPV, mas como prevenção para todas as outras doenças sexualmente transmissíveis;* Saiba que o HPV pode ser transmitido na prática de sexo oral;* Vida sexual mais livre e multiplicidade de parceiros implicam eventuais riscos que exigem maiores cuidados preventivos;* Informe seu parceiro/a se o resultado de seu exame para HPV for positivo.

Ambos precisam de tratamento;* Parto normal não é indicado para gestantes portadoras do HPV com lesões genitais em atividade;* Consulte regularmente o ginecologista e faça os exames prescritos a partir do início da vida sexual.

Não se descuide.

Diagnóstico e tratamento precoce sempre contam pontos a favor do paciente.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Câmara Municipal de Manaus Foto: Tiago Correa/CMM