Leia aqui a carta e moção de apoio de Campos Machado a José Maria Marin

PTB Notícias 10/04/2013, 14:04


Leia abaixo a carta e a moção de apoio Secretário-Geral da Executiva Nacional do PTB e presidente do PTB de São Paulo, deputado Campos Machado, a José Maria Marin, presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e presidente de honra do PTB Esporte do Estado de São Paulo.

Prezados companheiros,Estamos vivendo uma fase de distorções, levianas e criminosas, de fatos que, além de atingirem a honra das pessoas, ainda acarretam prejuízos morais, e até mesmo econômico-financeiros, ao nosso país.

O que alguns oportunistas de plantão, e alguns delinquentes morais, estão procurando fazer com que o ex-governador Jose Maria Marin, atual Presidente da CBF, deixando de lado o ridículo (como dizia Fernando Pessoa, “tudo, tudo mesmo, menos o ridículo”).

E, a leviandade e calúnias, é uma verdadeira lesa-pátria, comandada por incendiários e bandoleiros morais, como ex-jogador Romário (como político, foi um grande jogador de futebol), cujo passado e presente não o recomenda em nada, um jornalista frustrado na tentativa de obter vantagens em tudo e um grupelho da chamada “esquerda” (será que isso ainda existe no nosso País?) que, depois de 40 anos, querem atribuir a Marin a responsabilidade pela morte do jornalista Vladimir Herzog, um fato que lamentamos profundamente, ocorrido à época do Governo Militar, mas que nada, nada mesmo, tem a ver com o então ex-Deputado Estadual Jose Maria Marin.

Com tais delituosas atitudes, armam abaixo-assinado (via internet), acampam em frente à residência do Presidente da CBF, querem convocá-lo (leia-se o “Deputado” Romário) para a Comissão da Verdade, querendo indispô-lo com a opinião pública e se esquecem, dentro da pequenez, do ridículo e do grotesco, que a pouco mais de um ano, em 2014, a Copa do Mundo, vai realizar-se no Brasil.

O mundo todo aguarda, ansiosamente, junho de 2014.

Prevê que mais de 2 bilhões de pessoas vão assistir a transmissão da Copa.

Milhões e milhões de reais estão sendo gastos para que a imagem do nosso País seja respeitada, causando orgulho a todos nós, brasileiros, que amamos, a nossa Pátria.

Assim, solicito, não apenas em nome da verdade e da justiça, mas para salvaguardar o respeito que o Brasil tem em todo o mundo, que é preciso, é necessário mesmo, que nos manifestemos, com firmeza, e até de maneira contundente, em defesa do Presidente da CBF, Dr.

Jose Maria Marin, cujo único objetivo é conquistar a Copa do Mundo de 2014, para honra e orgulho de 200 milhões de brasileiros.

Solicito-lhe, assim, que em defesa do nosso futebol e do País, não deixemos que estes marginais morais consigam, atendendo a difusos e inconfessáveis interesses, possam interferir na realização da Copa de 2014, trazendo desconforto, tristeza e vergonha para todos nós.

Os maus não podem vencer os bons.

Vamos mostrar a nossa indignação, através de cartas, moções, e-mails, Facebook e outros meios, que o País não pode ser conduzido por revanchistas políticos, por “esquerdistas” de plantão, por oportunistas, por levianos, por quem busca, apenas, vantagem financeira, por caluniadores e, principalmente, por bandoleiros.

Vamos mostrar ao Presidente Marin, que já foi Governador do Estado de São Paulo, que ele não está sozinho nesta luta contra alguns bandidos da política e do esporte.

E, como encontramos nas lições bíblicas, “há tempo para tudo”.

E, agora, é tempo de lutar pela verdade, pela justiça e pelo nome do nosso País.

Abraços,Deputado Campos MachadoPresidente da Executiva Estadual do PTBSecretário-Geral da Executiva NacionalMoção Nº 14, de 2013-04-09″Desmascarando uma falsidade”.

Este é o título que se encontra na página principal da Confederação Brasileira de Futebol, a CBF, e que resume verdadeiramente a maquiavélica orquestração para denegrir a imagem, a honra, a história política e o passado de glórias do jogador de futebol, do Vereador, do Deputado Estadual, do Presidente da Federação Paulista de Futebol, do Governador do Estado e agora Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin.

Uma vergonha, para não dizer um ato vil e covarde, querer associar a morte do jornalista Wladimir Herzog, Diretor à época da TV Cultura, ao ex-Governador Marin, simplesmente por ele ter feito um apelo, em um aparte ao pronunciamento do Deputado Wadih Helú, em 1975, na tribuna da Assembleia Legislativa, para que o Governo do Estado, .

.

.

“sem adentrar no mérito da questão” (palavras dele), pudesse investigar supostas denúncias, levantadas pela imprensa, de que aquela emissora estatal não estava noticiando e divulgando conquistas do Executivo em favor da população carente, e obras públicas de relevo, mostrando apenas a miséria e os problemas enfrentados pelos menos favorecidos.

Vejam o absurdo.

Na tentativa de contextualizar as palavras do então Deputado José Maria Marin, deformando-as para que se pudesse interpretá-las no sentido de que estava contra o jornalista Wladimir Herzog, o filho deste, Sr.

Ivo Herzog, traz agora, depois de 38 anos, uma “denúncia” de que o atual Presidente da CBF teve “participação” ou “apoio” na morte de seu pai, e inicia um abaixo-assinado, tristemente apoiado por alguns segmentos da imprensa esportiva de que não o aceitam como dirigente máximo do futebol brasileiro, e que desejam retirá-lo da coordenação da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, sabe se lá por quais interesses inconfessáveis, objetivando destruir a reputação de um homem honrado, que não possui uma mácula na sua história de vida, tanto pessoal como política, pretendendo justificar a impossibilidade de sua permanência à frente daquela entidade.

Muito feliz o comparativo estabelecido na nota do site da CBF, quando lembra o episódio envolvendo a Escola Base, em São Paulo, onde pseudo-jornalistas, tal qual agora, fruto da má-fé e de irresponsabilidade, empenharam-se na desmoralização de pessoas de bem, para satisfazer maus instintos, entretendo-se em atirar, em quem os mira de cima, a lama em que chafurdam esses delinquentes (sic).

José Maria Marin, não fosse o grande político que foi, e é, bem como dirigente esportivo que sempre colaborou pelo futebol de São Paulo e do País, não teria sido agraciado com a Medalha do Mérito do Ministério Público do Estado, outorgando-lhe a comenda de “Promotor de Justiça emérito”.

É triste vermos neste País, a partir de um abaixo-assinado eletrônico, virtual, espalhando na rede da internet, com uma flagrante e notória informação inverídica, mentirosa, covarde e aviltante, ter o apoio de pessoas que, sequer, procurar saber dos fatos, sendo muito mais fácil se posicionar atrás das telas dos computadores, e com a lamentável colaboração de parte da imprensa, aquela que acha mais fácil não tentar descobrir a verdade, posto que isto é providencial para enlamear a imagem do Presidente da CBF, e tentar retirá-lo do cargo que legitimamente ocupa.

Ante o exposto, formulamos a seguinte Moção:A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO manifesta, aos Excelentíssimos Senhores Presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, assim como aos demais ilustres membros daquelas Casas Legislativas, incondicional apoio e solidariedade ao Senhor José Maria Marin, Presidente da Confederação Brasileira de Futebol – CBF, contra a total falsidade de declarações, atribuídas aquela autoridade, no episódio envolvendo a morte do jornalista Wladimir Herzog.

Sala das Sessões, em 14-3-2013a) Campos MachadoMo.

14/13