Leia aqui “Deus é amor” e outros comentários de Roberto Jefferson

Agência Trabalhista de Notícias 2/05/2008, 17:26


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, sobre o fenômeno da intromissão da religião na política, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta sexta-feira, 02 de maio:Deus é amorA intromissão da religião na política é um fenômeno universal em todos os tempos.

Os que não se curvam aos dogmas religiosos são demonizados, acusados de ser contra Deus.

É o que acontece no Rio de Janeiro.

Por causa de um pastor inconseqüente que chutou a imagem de uma santa, o candidato à Prefeitura de Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, vem sendo tratado como inimigo público (sem esquecer das questões político-financeiras provenientes da guerra entre a Globo e a Record).

Ou seja, mais do que políticos, os motivos são religiosos.

E combate-se uma intolerância com outra.

O mesmo se dá com a tentativa de descriminalização do aborto e à união entre parceiros do mesmo sexo.

Não defendo a prática do aborto, faz quem quiser.

Quanto ao casamento entre parceiros do mesmo sexo, entendo ser escolha de cada um.

Creio que Deus está na presença do amor, não do ódio.

Inimigos para sempreRecentemente, recebi a visita de um velho amigo petebista, católico fervoroso.

Disse-me ele: “Roberto, não apóie o Crivella, ele é nosso inimigo”.

Porque um louco chutou a santa, não tem perdão; é coisa para o resto da vida.

É impressionante.

Maior que a criatura A polêmica envolvendo Barack Obama e seu pastor, Jeremiah Wright, reforça minhas convicções.

O Estado tem de ser laico.

Quando a política é norteada pela religião, acaba em desastre.

É o que se constata na queda vertiginosa do apoio a Obama entre os democratas; se sua candidatura não for confirmada, ele terá sido derrubado por Wright, que quis lhe impor suas idéias.

E os EUA terão perdido a chance de eleger, no alvorecer do Século 21, seu 1º presidente negro.

Definitivamente, política não combina com dogmatismo.