Leia aqui o comentário “Reage, Sarney!”, do Presidente Nacional do PTB

PTB Notícias 26/06/2009, 13:33


Leia abaixo comentários do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicados em seu blog na internet ( (http://www.

blogdojefferson.

com/) www.

blogdojefferson.

com) nesta sexta-feira (26/6);Reage, Sarney! Cresce o sentimento de que a crise no Senado não tem como ficar pior.

José Sarney esticou muito a corda e agora não dá mais para adiar uma decisão – ou se licencia do cargo ou negocia uma saída com os senadores.

O que não dá mais é continuar agindo como se Brasília fosse o Maranhão.

Mas se Sarney continuar titubeando, e deixar o barco na mão do pessoal do concurso público, os senadores serão esmagados.

Ou ele desce do muro ou o Senado vai continuar agonizando em praça pública – e amargará o mais longo recesso de sua história.

Recesso que não chegaNunca um recesso parlamentar foi tão aguardado pelos senadores como este do primeiro semestre de 2009.

Todos desejam ardentemente encerrar os trabalhos por algumas semanas, com a expectativa de que assim diminua o calor do fogo em que arde o Senado nos últimos meses.

O problema é que o recesso só começa por volta do dia 15 de julho, e até lá ainda há muita munição de jornais, revistas e televisões contra não só os senadores, mas principalmente voltadas ao alvo que é a bola da vez do momento: José Sarney.

A TPR (Tensão Pré-Revistas) que costumava acometer o Palácio do Planalto nas sextas, com a perspectiva dos escândalos que as revistas trariam no fim de semana, agora se tornou um mal a atacar o fígado de senadores e deputados.

Big Brother do SenadoO presidente José Sarney está sendo vítima das próprias medidas que tomou para tentar dar uma resposta à crise institucional.

Ao criar o Portal da Transparência, que expõe na internet boletins, listas de servidores, contratos e todo tipo de medida administrativa do Senado, Sarney inventou um brinquedo que está divertindo não só a mídia, mas pessoas em todo o Brasil, que passam horas revirando as listas na busca por parentes de senadores e outras autoridades entre os funcionários da Casa.

Para tirar o foco sobre os afilhados de políticos, a Mesa Diretora quer agora expor na rede os salários dos funcionários, principalmente os concursados.

É um ato que, se for concretizado, promete transformar o Senado em uma espécie de Big Brother: todo mundo vai querer dar uma espiadinha nos vencimentos dos servidores concursados, que no geral se encontram no patamar dos 320, 330 mil reais anuais.