Leia o artigo do Deputado Coronel Queiroz: A Arte da Política Classista

PTB Notícias 5/03/2010, 8:06


Leia as considerações do Deputado Estadual Coronel Queiroz (PTB) sobre matéria publicada na Revista Segurança Pública, do Clube dos Oficiais, na Edição nº 26, de fevereiro de 2010, subscrita pelo seu presidente: “A vida é pródiga em revelar as facetas humanas.

O cenário da política celebriza-se por propiciar os mais variados insumos para as exposições ideológicas.

Ai está a beleza da pluralidade de idéias.

Como político, democrata por essência e republicano por vocação, admiro os debates, o processo dialético e as discussões em torno dos temas relevantes para o povo, para o Estado e para o governo, necessariamente nesta ordem.

Ao longo de quase 40 anos dediquei minha carreira de policial militar, representante classista, gestor público e parlamentar para captar as necessidades, os desejos e os anseios dos homens e mulheres que representei e represento.

E o produto dessa trajetória é transparente e límpido, tanto que dispensa pirotecnias para alcançar o conhecimento público.

Quem é o PM Queiroz? Quem é o Coronel Queiroz? Quem é o Deputado Coronel Queiroz? São três perguntas que poderiam ser resumidas em uma só, pois uma só é a resposta.

E a resposta é de conhecimento dos policiais militares e bombeiros militares que acompanham nossa trajetória à décadas.

Nesses quase quatro anos como Deputado Estadual, aprendi muito e ajudei a conquistar várias plataformas de dignificação do servidor público estadual, com especial ênfase para os militares da PMGO e do CBMGO.

Tenho a humildade para reconhecer e confessar que não fui o único responsável por essas vitórias, apesar da nossa participação ativa.

Todavia, aquele que acredita que as coisas só acontecem e existem por sua exclusiva participação e atuação aposta na ignorância de seus interlocutores e arroga para si atributos de onipotência, onipresença e onisciência, próprios da divindade, coisa que não aprendi e não sei fazer.

Cada ser humano reúne características próprias para viver e cada político, profissional ou não, e no meu caso não, também tem seu jeito para articular alianças, traçar argumentos, sustentar opiniões e realizar as obras para aqueles que representa.

Uns digladiam-se, outros dialogam.

Uns insultam, outros debatem.

Uns difamam, outros trabalham.

Há aqueles ainda que se rebeldiam e radicalizam suas posturas, gritando e esbravejando, por destempero e desespero ante a falta de ideias, de proposições e de realizações; e há aqueles que em silêncio ouvem, refletem, dialogam e produzem.

Minhas vida e trajetória, tanto profissional quanto parlamentar, me posicionam dentre aqueles reflexivos, respeitosos e produtivos e jamais romperei com a ética da minha essência para amesquinhar-me em ataques ou vitupérios aos meus opositores ou adversários políticos.

Para aqueles que se utilizam dessas ferramentas de ataque e agressão desejo sorte, pois geralmente a prosperidade não acompanha quem se vale da desconstrução alheia para atingir seu desiderato.

Desejo saúde, pois aquele que destila veneno, logo se contamina e padece pela insipiência, pelo ódio e pelo rancor, que são ingredientes patogênicos e cancerígenas.

Desejo sucesso, pois quem sabe com um pouco de glória, possam focar seus objetivos em construir e realizar.

De qualquer forma, uma coisa posso afirmar, a arte da política classista é um aprendizado duro, que exige constante vigília, prudência, sensatez e espírito conciliador, pois do contrário, nada acontece.

Para finalizar deixo uma mensagem para os adversários que se agravam com meu trabalho, extraída do cancionário valenciano: “Quem sabe, sabe, quem não sabe, sobra; cobra e caminha sem ter direção.

Olha, a defesa é natural; cada qual para o que nasce.

Cada qual com sua classe, seus estilos de agradar.

Eu nasci pra trabalhar, outros nascem para a briga.

Outro vive de intriga, outro vive a cruciar! Outros vivem de enganar, olha o mundo só presta assim.

É um bom outro ruim e não tem jeito prá dá! Prá acabar de completar, quem tem o mel dá o mel.

Quem tem o fel, dá o fel e quem nada tem nada dá!” * Agência Trabalhista de Notícias com informações do Blog do Deputado Coronel Queiroz