Leia o artigo do presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson

PTB Notícias 9/02/2011, 14:14


Leia abaixo artigo do Presidente Nacional do PTB, Roberto Jefferson, publicado no Jornal Brasil Econômico nesta quarta feira (09/02/2011): Reforma Política já* Por Roberto JeffersonNo período de transição do regime militar para a democracia e durante os trabalhos da Assembleia Nacional Constituinte, era comum que as dificuldades e torpezas da vida política fossem atribuídas à falta de experiência.

Era difícil encontrar quem discordasse.

Afinal, é pura verdade que a história republicana foi marcada por rupturas institucionais, irregularidade nas eleições e vida partidária frágil.

A República Velha era tudo, menos democrática.

O sistema político instaurado após a redemocratização de 1945 não durou 20 anos e foi demolido e soterrado pelas duas décadas de governos militares com a política em liberdade condicional, quando muito.

A atual Constituição, com seus 22 anos, ultrapassou a marca simbólica da maioridade e já é mais que evidente que não será com o andar da carreta que se arranjarão as abóboras políticas.

Tampouco o será com um “freio de arrumação”.

O sistema político eleitoral brasileiro é, atualmente, o que há de mais arcaico e ineficaz de todas as dimensões da vida nacional.

Temos uma economia dinâmica, uma cultura rica, uma ciência e uma tecnologia que merecem reconhecimento internacional e uma população cada vez mais consciente de seus direitos e deveres, composta por pessoas que exercem sua cidadania.

O Brasil deixou de oscilar entre o cenário da utopia e o palco da farsa.

Nosso sistema político eleitoral, entretanto, é pior do que lamentável.

É um tremendo estorvo, um corpo em acelerado processo de necrose que não pode mais ser tratado com band-aid, analgésico e homeopatia.

É preciso uma intervenção cirúrgica.

Não daquelas praticadas em hospitais de campanha a base de amputações sem anestesia, mas à semelhança dos excelentes hospitais e médicos com que contamos, ainda que infelizmente sem a abrangência necessária.

Estamos no início do ano legislativo, de um novo governo e de uma nova legislatura.

Volta-se a falar em reforma política e o cidadão que acompanha o noticiário, quando se dá ao trabalho de ouvir a íntegra das reportagens a respeito, dificilmente tem outra reação que a de desdém.

Isso tem que mudar e tem que mudar já.

Quando defendo a urgência de uma reforma política profunda, não o faço como um franco atirador, um crítico distante dos parlamentares e dos partidos, mas como alguém que fez da política a sua vida.

Faço-o como um dos que tem o dever – e a honra – de assumir essa responsabilidade perante seus conterrâneos.

A inércia não levará a nada, enquanto a colocação dos interesses particulares como medida e justificativa para endossar ou recusar propostas de mudanças em relação a questões como financiamento público de campanhas e posse de suplentes, para citar apenas dois, conduz ao pior dos mundos políticos, com o qual já flertamos em demasia.

É preciso entender que, no tocante à Reforma Política, já não há espaço para a distinção entre interesses coletivos, de grupos ou pessoais.

Hoje, aquele que pensa que tem a ganhar no varejo está condenado a perder no atacado porque não fazer uma Reforma Política profunda já não é uma questão de dar-se ao luxo ou de pagar um preço elevado.

Ela é indispensável para que tenhamos instituições dignas dos brasileiros e para que não venhamos a ter saudades do mensalão.

* Roberto Jefferson é Presidente Nacional do PTB