Léo pede agilidade na conclusão das obras do Hospital de Emergência

PTB Notícias 27/04/2016, 7:58


Como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Rondônia, o deputado Léo Moraes (PTB), acompanhado dos deputados Dr.

Neidson (PMN) e Jesuíno Boabaid (PMN), representantes da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, realizaram, na última semana, visita técnica junto ao Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, em Porto Velho.

Os parlamentares foram acompanhados, durante a vistoria técnica, pelo diretor da unidade, Carlos Eduardo Rocha Araújo, e pelo coordenador médico do Pronto Socorro, Vinícius Nogueira.

Segundo Léo Moraes, a intenção foi conhecer a realidade do JP II e aproximar o parlamento das necessidades, com o intuito “de direcionar recursos para o que for necessário suprir dentro da unidade de saúde”.

Léo Moraes informou que encaminhará requerimento ao Poder Executivo solicitando informações que justifiquem o não andamento das obras do Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia (Heuro).

“É lamentável constatar que centenas de pessoas estão sendo acomodadas nos corredores do João Paulo II para ser atendidas quando sabemos que o governo está construindo um hospital que pode oferecer um atendimento mais digno a esses pacientes.

Vamos cobrar agilidade para a finalização dessa obra”, ressaltou Léo Moraes.

Segundo coordenador médico, Vinícius Nogueira, o JP II possui todos os equipamentos necessários para o atendimento, mas realmente falta espaço e estrutura mais adequada.

De acordo com o médico, somente o aparelho de tomografia computadorizada realiza cerca de 50 exames ao dia.

“O paciente politraumatizado que chega à unidade, em poucas horas já recebe os primeiros socorros, tratamento, exames e diagnósticos para a continuidade do tratamento.

Nenhum hospital privado da capital tem condições de oferecer um atendimento especializado igual ao do JP II”, garantiu o médico.

Léo Moraes concordou que o JP II está bem em relação a equipamentos médicos, no entanto reafirmou a superlotação da unidade e disse que a falta de espaço poderá ser resolvida com a entrega do Heuro.

“Nossa meta agora é essa, cobrar do Estado à conclusão das obras do Heuro e proporcionar uma melhor qualidade no serviço de saúde pública para a população de Rondônia”, concluiu Léo Moraes.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Assembleia Legislativa de Rondônia Foto: Ana Célia/ALE-RO