Líder do PTB na Câmara quer priorizar projetos de interesse da sociedade

PTB Notícias 10/02/2009, 9:59


Reconduzido ao cargo de líder do PTB, o deputado Jovair Arantes (GO) quer dar prioridade à votação de matérias de interesse da sociedade, às demandas dos parlamentares do partido e modificações nas leis penais.

Em seu quarto mandato como deputado federal, Jovair é líder do PTB desde 2007.

Antes de ingressar na Câmara, foi vereador e prefeito de Goiânia, além de deputado estadual em Goiás.

Filiado ao PTB desde 2003, Arantes chegou à Câmara na bancada do PSDB, partido no qual esteve entre 1990 e 2003 e do qual também foi líder e vice-líder.

Sua primeira filiação partidária, em 1983, foi no PMDB.

Cirurgião-dentista e produtor rural, o deputado já foi integrante das comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania; de Fiscalização Financeira e Controle; e de Seguridade Social e Família, entre outras, além de ter presidido a Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público.

Arantes participou ainda de várias comissões especiais e também da CPI dos Bingos.

O parlamentar concedeu a seguinte entrevista à Agência Câmara:Agência Câmara – Quais são os temas prioritários do PTB para este ano?Jovair Arantes – A prioridade do partido é dar vazão às demandas, principalmente demandas dos deputados do PTB.

Nós sabemos que a Casa está com a tradição de não votar as matérias de interesse dos deputados.

Nós precisamos, como a maioria da Casa quer, diminuir as medidas provisórias.

Eu acho que já foi tomada essa providência, por tudo o que nós votamos no ano passado.

Vamos disciplinar os critérios da urgência e da relevância das medidas provisórias que vêm do governo, para fazermos acordos e votar matérias de interesse da sociedade.

E o PTB está inserido nessa discussão.

Agência Câmara – Qual é a sua posição sobre as principais reformas: a tributária e a política?Jovair Arantes – Nós temos duas reformas que estão batendo na porta da Casa há muito tempo: a reforma tributária e a reforma política.

E, por último, eu acho que nós não podemos fechar os olhos ou ignorar que a sociedade exige também uma reforma das leis no Judiciário.

As matérias precisam ser direcionadas para discutir a questão da Justiça no Brasil.

Nós não aguentamos mais ver os crimes impunes, a impunidade total, as leis flexíveis de tal sorte que qualquer advogado consegue tirar o mais perigoso bandido da cadeia, coloca ele na rua outra vez e ele volta a praticar outro crime, vai preso e torna a voltar para a rua.

Uma das nossas bandeiras é a melhoria das leis penais no Brasil.

Agência Câmara – Mas o senhor é favorável à reforma tributária?Jovair Arantes – Totalmente favorável.

Eu acho que a reforma tributária se faz necessária principalmente num ano de crise.

Numa crise como esta que aí está, nós temos que privilegiar, não digo nem privilegiar, mas fazer valer a possibilidade de quem produz no Brasil ter espaço.

Chega de tanto imposto.

Se você bota para girar os recursos e girar a produção, você aumenta e melhora a qualidade de vida do todo o brasileiro.

Então a reforma tributária tende e precisa fazer isso.

Agência Câmara – E sobre a reforma política, qual é a sua opinião?Jovair Arantes – Sobre a reforma política, eu tenho uma opinião muito própria.

No mandato do Fernando Henrique, ele queria fazer a reforma da previdência para valer imediatamente, não conseguiu.

Se nós tivéssemos, naquela oportunidade, feito uma reforma para entrar em vigência a partir de 2010, estaríamos para resolver o problema da previdência no Brasil.

A reforma política da mesma forma.

Temos que fazer uma reforma para valer para 2020, 2018, 2016, pois aí ninguém sabe quem serão os atores que estarão no cenário dessa discussão.

Mas ao fazer a mudança para valer imediatamente, no Brasil você fere interesses dos partidos que aí estão, dos deputados que aí estão, dos políticos que estão no poder, dos políticos que estão querendo chegar no poder.

Fazendo uma reforma para valer a partir de 2016, 2018, você tem um caráter mais impessoalizado.

Então, o PTB tem esse pensamento: a reforma tem que ser aplicada no longo prazo, exatamente para não envolver os atores que vão defini-la.

Agência Câmara – E qual será a posição do PTB, durante o ano, em relação ao governo?Jovair Arantes – Nós apoiamos o governo do presidente Lula, o PTB é um partido de apoio dessa base.

Por entender que o programa que o governo tem feito é um programa interessante, é um programa importante para a sociedade brasileira, o PTB atua muito firmemente na defesa das matérias que o governo tem encaminhado à Casa.

E nós vamos continuar dessa forma.

O PTB é um partido que tem independência nessa discussão e nessa decisão.

E, no momento oportuno, se necessário for, o partido senta e discute outra posição.

Mas, no momento, a tendência é apoiarmos o presidente Lula até o final do seu mandato.

Fonte: Agência Câmara