Líderes dos partidos do blocão fazem desagravo a Eduardo Cunha

PTB Notícias 12/03/2014, 16:50


Líderes de partidos da base aliada, como o PTB, e do oposicionista Solidariedade (SDD) fizeram nesta terça-feira (11/03/2014) um desagravo ao líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ), durante reunião do chamado “blocão”, grupo informal integrado por oito legendas para pressionar o governo em votações na Câmara.

Em uma demonstração de que as insatisfações da base com o Planalto continuam, o blocão anunciou apoio à criação da comissão externa para investigação de denúncias contra funcionários da Petrobras – requerimento aprovado nesta noite pelo Plenário – e parte dos deputados se mostrou favorável a (http://www2.

camara.

leg.

br/camaranoticias/noticias/POLITICA/463342-CAMARA-PODE-VOTAR-REQUERIMENTOS-CONTRARIOS-A-INTERESSES-DO-GOVERNO.

html) requerimentos de convite e convocação de ministros para que compareçam a audiências públicas em comissões da Câmara.

De acordo com o líder do PTB, deputado Jovair Arantes (GO), porta-voz do blocão, todos os parlamentares presentes à reunião desta terça fizeram discursos em apoio ao líder do PMDB e manifestaram que, se Cunha for excluído de negociações com o Planalto, todos os parlamentares se sentirão isolados.

“Ele [Cunha] foi gratuitamente agredido de uma forma que não deve se fazer na política.

Não estou querendo ditar regra para ninguém do ponto de vista de como fazer política, mas a boa política se faz conversando, conciliando e buscando resolver as questões.

É assim que se faz no mundo inteiro, no Brasil não é diferente”, afirmou Jovair Arantes.

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, que se reuniu nesta segunda-feira com a presidente Dilma Rousseff sem a presença de Cunha, também saiu em defesa do líder de seu partido.

“Impossível se isolar o líder de uma bancada de 75 deputados federais.

Pode haver dificuldades, muitas vezes estremecimento, mas faz parte do jogo político.

Mas, agora, isolar o líder do PMDB, isso não passa pela cabeça do PMDB”, ressaltou.

fonte: Agência Câmara