Liziê Coelho fala sobre Dia Estadual da Caatinga e debate aprovação de PEC

PTB Notícias 16/05/2013, 17:45


A Assembleia Legislativa do Piauí dedicou, nesta quinta-feira (16/5/2013), o início do grande expediente da sessão ordinária para comemorar o Dia Estadual da Caatinga, que transcorre nesta sexta-feira (17).

Atendendo requerimento da deputada Liziê Coelho (PTB), o debate objetiva a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 504/10, que define os cerrados e a caatinga como áreas de preservação ambiental.

O deputado Ismar Marques (PSB), vice-presidente da Alepi, convidou para a mesa de honra, dentre outros, os representantes da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, Marcelo Amorim, da Secretaria da Assistência Social e da Cidadania, Raimundo Oliveira, e do Banco do Nordeste do Brasil, Francisco Lopes.

Autora da Lei 6.

266/12, que criou o Dia Estadual da Caatinga, Liziê Coelho disse que a “mata branca”, que é a caatinga, é um bioma exclusivamente brasileiro, compreendendo uma área superior a 844 mil quilômetros quadrados, que tem sido desmatada e explorada de forma irregular, onde moram 28 milhões de pessoas.

A deputada do PTB defendeu ainda a assinatura de um decreto presidencial criando a Comissão Nacional da Caatinga, a finalização do Plano de Prevenção e Controle do Desmatamento da Caatinga, a criação de unidades de conservação e a destinação de um volume maior de recursos para o desenvolvimento de atividades econômicas que beneficiem a população.

O representante do BNB, Francisco Lopes, disse que o Banco do Nordeste tem realizado eventos que visam incentivar a exploração racional e sustentável da caatinga.

Ele lembrou que a Assembleia do Piauí tem feito a sua parte com a criação da Frente Parlamentar para Defesa e Desenvolvimento da Caatinga e pediu que os parlamentares estaduais e federais se unam na defesa da aprovação da PEC 504.

Por sua vez, o representante da Secretaria do Meio Ambiente, Marcelo Amorim, disse que a caatinga merece uma maior atenção e que devem ser adotadas medidas que possibilitem a fixação do homem em toda a área territorial abrangida pelo bioma.

Agência Trabalhista de Notícias (NM), com informações da Assembleia Legislativa do PiauíFoto: Caio Bruno/AsscomAlepi