Luísa Canziani: ministra defende valorização da mulher e combate à violência doméstica

Agência Trabalhista de Notícias 18/04/2019, 10:39


Imagem Crédito: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

A convite da presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher, deputada Luísa Canziani (PTB-PR), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participou de audiência pública na Câmara dos Deputados, onde abordou as perspectivas da atuação do ministério, além das medidas anunciadas por meio da campanha “Salve Uma Mulher”.

No debate, que durou mais de seis horas e foi realizado na terça-feira (16), Damares Alves também defendeu a educação voltada à valorização do segmento feminino desde a infância. “Acredito sim que o menino, na escola, vai ter que aprender a respeitar e a proteger a menina”, afirmou.

“Eu até usei, de uma forma simbólica, que tem que ensinar o menino a abrir porta do carro. Mas não quero que ele abra só a porta do carro. Quero que ele abra a porta da fábrica, a porta do seu escritório, a porta da sua indústria. E quero que ele abra a porta dos partidos. Quero que ele abra a porta desse Parlamento para que mais mulheres estejam aqui dentro também. É isso que eu quis dizer naquela época”, destacou a ministra.

Conscientização

Luísa Canziani considerou a audiência “extremamente produtiva”, com troca de ideias e experiências, conscientização e comunicação. Segundo a deputada, o debate de políticas públicas para o combate à violência é fundamental para que ocorram avanços efetivos para a consolidação dos direitos das mulheres.

“A construção de uma sociedade justa e igualitária, em que homens e mulheres tenham direitos iguais, passa pelo diálogo, pela tolerância, pelo respeito às diferenças e pela somatória de forças entre Executivo, Legislativo e sociedade. Todos com um objetivo comum: melhorar a vida das brasileiras”, destacou.

Rede de proteção

Durante a audiência, a ministra ressaltou a importância de fortalecer a rede de proteção às mulheres, além de solicitar o apoio dos parlamentares presentes para a divulgação do Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher).

Oferecido pelo ministério, o Ligue 180 funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. O serviço também pode ser acionado por meio do aplicativo Proteja Brasil. Damares Alves afirmou ser necessário romper o ciclo da violência.

“Pode começar com um xingamento, ou um empurrão, e acabar em agressão física ou morte. Por isso, nenhuma violência deve ser aceita, seja física, moral, patrimonial, sexual, psicológica. O ministério possui o Ligue 180. Denunciem as agressões”, reforçou a ministra.

A campanha é inspirada no projeto “Mãos Empenhadas Contra a Violência”, implantado em Mato Grosso do Sul.

Além de registrar denúncias de violações contra mulheres, encaminhá-las aos órgãos competentes e realizar seu monitoramento, o Ligue 180 também dissemina informações sobre direitos da mulher, amparo legal e a rede de atendimento e acolhimento.

Campanha

A ministra também falou sobre a campanha “Salve uma mulher”, lançada pelo ministério em 8 de março, Dia Internacional da Mulher. O objetivo é enfrentar a violência contra o público feminino. As ações visam conscientizar para a responsabilidade de todos na promoção dos direitos, em especial os profissionais que lidam com mulheres todos os dias, como os do campo da beleza.

“A campanha conta com profissionais da área da beleza, que poderão orientar suas clientes, considerando essa relação que muitas vezes é de confiança. Todos os casos de agressões devem ser denunciados. Por isso precisamos estar unidos nesse objetivo”, observou Damares.

Durante a audiência, também foi apresentado o acordo de cooperação técnica de enfrentamento à violência doméstica, assinado em março junto com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos Deputados