Luzia Toledo busca inclusão do Espírito Santo na rota da Estrada Real

PTB Notícias 23/12/2007, 11:09


O Espírito Santo está cotado para integrar a rota da Estrada Real, que permite que turistas revivam o passado e conheçam um pouco mais da história do Brasil.

A vice-presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputada estadual Luzia Toledo, do PTB capixaba, participou de uma reunião nesta semana com o diretor geral do Instituto Estrada Real, Blaques Vladimir Sanna, com o objetivo de viabilizar a inclusão do Estado neste roteiro turístico.

A reunião foi proposta pela deputada petebista e aconteceu na sede do Instituto Estrada Real, localizado em Belo Horizonte, Minas Gerais.

O nome do Espírito Santo, juntamente com os de outros Estados da federação, estarão em discussão em um seminário, que acontecerá na segunda quinzena de janeiro de 2008.

De acordo com Luzia Toledo, o nome do Estado está sendo bem recebido pelo instituto e ajudará a fomentar o turismo capixaba.

Durante a reunião, a deputada apresentou um histórico do Estado justificando a participação do Espírito Santo na rota da Estrada Real.

“Essa discussão é muito importante para o Estado, principalmente para o turismo.

Nós já temos uma experiência de turismo compartilhado com Minas Gerais que é a região do Caparaó e esperamos que o Espírito Santo seja incluído na rota da Estrada Real”, declarou a deputada petebista.

O presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), Robson Braga de Andrade, e o Governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), estiveram presentes à reunião e apoiaram a inclusão do Espírito Santo na rota.

A inclusão do Estado na Rota Turística da Estrada Real tem sido pleiteada pela deputada Luzia Toledo já há alguns meses.

Em recente visita a Assembléia Legislativa de Minas Gerais, a parlamentar entregou ao Governador Aécio Neves (PSDB), uma carta solicitando que a região do entorno do Caparaó configure como parte integrante da rota.

A Estrada Real é um patrimônio cercado de montanhas, natureza, cultura e arte.

Hoje, os caminhos de Minas Gerais e do Espírito Santo estão interligados por estradas, onde passam passageiros e cargas.

Além do fortalecimento das relações comerciais entre os dois Estados, a inclusão do Espírito Santo na Estrada Real amplia as possibilidades de turismo, especialmente em relação ao Sudeste do Estado, a belíssima região do Caparaó.

Saiba Mais: A população do Espírito Santo, na sua maioria, desconhece os fatos históricos que envolvem a descoberta de ouro em nosso Estado.

No ano de 1550, a Guerra dos Emboabas culminou na compra da capitania do Espírito Santo e a sua transformação em praga fortificada.

Assim, o Espírito Santo foi proibido de estabelecer qualquer comunicação por terra ou água com a região das minas gerais, que se tornou Capitania Real, em 1720.

A imposição da Coroa trouxe para nós, capixabas, sérios prejuízos, uma vez que em nosso Estado cresciam as fortificações e aumentavam o efetivo militar, o que impediu o desenvolvimento dos ‘caminhos reais’ em nosso território, pois o Estado era “protegido” pelas grandes reservas auríferas.

fonte: site da Assembléia Legislativa do Espírito Santo