Marcos Crippa questiona bombeiros sobre equipamentos para incêndios

PTB Notícias 23/06/2014, 7:19


O presidente da Câmara de Catanduva (SP), vereador Marcos Crippa (PTB), elaborou requerimento no qual questiona a estrutura do Corpo de Bombeiros de Catanduva para atender casos de incêndios em edifícios da cidade.

No documento elaborado, o Chefe do Legislativo afirma que a significativa quantidade de edifícios em Catanduva com número grande de andares preocupa enorme parcela dos munícipes.

“Que aflitos buscam respostas quanto ao resultado de eventuais ocorrências de incêndios de grandes proporções nesses locais, ao associarem a essa possibilidade o fato do corpo de Bombeiros da cidade não possuir a Escada Magirus”.

Ainda segundo o parlamentar, o equipamento, utilizado tradicionalmente para combate ao fogo e resgate de vítimas que estejam encurraladas em edifícios, é fundamental, mais eficiente, e garante mais segurança aos bombeiros que a princípio não precisam adentrar nos edifícios para retirarem vítimas.

“Por outro lado, é sabido que autoridades da área também enxergam esta questão de maneira mais ampla, considerando que a eficácia da Escada Magirus tem que vir acompanhada às estruturas e arquiteturas cada vez mais inovadoras à concepção de evacuação em edifícios”, cita.

“Com edifícios mais antigos e desprotegidos das inovações em matéria de segurança em caso de incêndios, bem como a incontestável qualidade da Escada Magirus, deparamo-nos com as realidades das preocupações externadas por nossos cidadãos, ou seja, por que o nosso Corpo de Bombeiros não possui esse equipamento, bem como, o que isto realmente traz de prejuízo aos serviços dos bombeiros, ao considerarmos a realidade do tamanho/altura, tipo de edificação, idade e demais considerações pertinentes para se enfrentar incêndios nos edifícios deste município”, complementa.

Crippa ainda questiona como o Corpo de Bombeiros avalia a eventual necessidade de se combater incêndios apartir da altura que os equipamentos que possui alcançam, bem como, qual é este limite hoje; Se este limite não atinge a altura de todos edifícios, qual a maneira que se tem para combate ao fogo e ir ao encontro do salvamento de pessoas a partir dele e qual a ótica que faz sobre as considerações acima, sobretudo se entende a necessidade da Corporação possuir um veículo/Escada Magirus.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal O Regional Foto: Divulgação