Mares Guia negociará PAC com líderes partidários nesta semana

PTB Notícias 26/03/2007, 9:33


O novo ministro das Relações Institucionais, Walfrido dos Mares Guia, deve começar nesta semana a negociar com os líderes partidários a aprovação das propostas do PAC.

Oito medidas provisórias do programa trancam a pauta do Plenário.

Os líderes se reúnem amanhã para discutir essas propostas.

Mares Guia será o responsável por negociar com o Congresso a aprovação das matérias de interesse do governo.

EntendimentoEm seu discurso de posse, Mares Guia se dirigiu aos líderes partidários e afirmou que sua tarefa será buscar o entendimento entre os partidos da base aliada e da oposição.

O ministro ressaltou que às vezes, dentro do mesmo partido, é muito difícil que, nas votações, 100% dos deputados acompanhem o líder, seja da oposição ou da situação.

“Por isso é que a gente tem que discutir.

Tem que circular informação, tem que iluminar a discussão.

Caso contrário, ficam meias verdades ou meio entendimento e daí muito desentendimento acontece.

” O ministro assinalou que terá que garantir a circulação das informações para a base e a oposição.

“Na hora de votar, todo mundo deve saber o que está votando, por que está votando e qual o benefício desse voto”.

Apoio dos líderes O líder do governo na Câmara, deputado José Múcio Monteiro (PTB-PE), disse estar confiante na atuação do novo ministro.

“Essa expectativa é de todos os partidos, inclusive dos de oposição.

O ministro Walfrido faz política porque gosta, é um homem vocacionado para fazer política 24 horas por dia.

Tenho absoluta certeza que as distâncias entre o Legislativo e o Executivo serão encurtadas, porque ele é um homem do diálogo.

O governo, o País, o Congresso, todos nós ganhamos com essa nomeação.

“O vice-líder do PFL deputado José Carlos Aleluia (BA) acredita que a oposição também vai ganhar com a ida de Mares Guia para o Ministério das Relações Institucionais.

“Acho que o ministro, que foi deputado, é um homem de boa formação cultural e humanística, tem todas as condições de promover o diálogo com o Congresso.

” fonte: Jornal da Câmara