Marlene Campos Machado repudia declaração de promotor de SP que disse que magistrada do Amazonas tem ‘cara’ de faxineira

Agência Trabalhista de Notícias 12/01/2017, 8:00


Imagem Crédito: Divulgação

A Presidente Nacional do PTB Mulher, Marlene Campos Machado, repudiou a declaração do promotor Rogério Zagallo, do Ministério Público de São Paulo, que afirmou em uma rede social que uma desembargadora do Tribunal de Justiça do Amazonas parece uma empregada doméstica. No comentário, o promotor Rogério Zagallo escreveu o seguinte: “Pela carinha, quando for demitida poderá fazer faxina em casa. Pago R$ 50,00”.

Marlene Campos Machado criticou o comentário preconceituoso do promotor em comentário postado em sua página, no Facebook:

“A justificativa dele foi tão ruim quanto o comentário. O que ele quis dizer com a expressão ‘cara de doméstica’: que o trabalho doméstico é inferior aos demais?

Vale dizer que:

— Os trabalhadores e trabalhadoras Domésticos são mais de 6 milhões(IBGE);
— Pagam mais impostos proporcionalmente que os demais trabalhadores porque o Brasil é um dos campões em tributar consumo e serviços;
— Recebem, em média, menos de um salário mínimo (Seade);
–70% não tem carteira assinada e, portanto, tem menos direitos assegurados (Seade).
Ou seja, isso quer dizer apesar de todas essas dificuldades, ganhando menos, tendo de gastar mais e com menos direitos, as domésticas sustentam e educam milhões de famílias do país.

Quem deve sentir vergonha, os nobres trabalhadores dessa categoria ou quem os ofende?”

Marlene Campos Machado.