Marlúcio Pereira promove debate sobre drogas na Assembleia de Goiás

PTB Notícias 12/06/2013, 6:59


Estudo do Conselho Nacional de Segurança Pública (Conasp), de 2012, aponta cerca de 300 mil usuários de droga em Goiás, sendo as mais consumidas a maconha e a cocaína.

Preocupado com esta realidade, o deputado estadual Marlúcio Pereira (PTB) promove nesta quarta-feira (12/6/2013) audiência pública no auditório Solon Amaral da Assembleia Legislativa de Goiás para discutir as ações do Poder Público no combate, prevenção e tratamento da dependência química no estado.

No local o público vai conhecer a forma de uso de múltiplas drogas e ainda colher depoimentos de pessoas em tratamento.

Essas pessoas prometem contar em detalhes o drama que viveram ao mergulhar no submundo do vício.

Para o deputado, a intenção não é criar um sensacionalismo em torno do assunto, mas tratá-lo com transparência.

“O problema das drogas em nosso estado, assim como no resto do Brasil, é sério e precisamos encarar com seriedade”, defende o deputado do PTB.

A audiência que terá como tema: “Drogas Nem Pensar”, vai contar com a participação de importantes personalidades e especialistas no assunto.

Confirmaram presença: o comandante geral da Polícia Militar, coronel Sílvio Benedito, Nadir Batista Cordeiro, delegada titular DEPAE de Goiânia, Renata Vieira, Delegada do DPCA de Goiânia, Luiz Gonçalo, professor da PUC e Psicanalista, Ivânia Alves Fernandes Pessoa, presidente do Grupo Executivo de Enfrentamento as Drogas e Maria Luíza da Silva – Coordenadora Distrital do Centro de Recuperação de Alcoólatras, entre outros.

Para Marlúcio Pereira será um importante debate que visa buscar encaminhamentos para enfrentar o problema das drogas, sobretudo o crack.

“Esta droga tem ceifado vidas de jovens que experimentam a droga e não conseguem mais se livrar do vício”, lembra o parlamentar.

Outro tema que deverá ser abordado durante a audiência é a internação compulsória de usuários em Goiás.

“Precisamos analisar experiências que foram implementadas em outros estados como São Paulo e comparar com a nossa realidade.

Se for necessário podemos sim defender medidas similares em Goiás”, acrescentou Marlúcio.

NúmerosDos 222 municípios do estado pesquisados pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), em 2010, 199 apresentavam circulação de drogas.

Em todo o país, em 2012, o Levan­ta­mento Nacional de Álcool e Drogas – Lenad, unidade de pesquisa da Uni­versidade Federal de São Paulo (Unifesp), aponta que há 2,6 milhões de usuários de crack e cocaína, sendo metade deles dependente (1,3 milhão).

No ranking de regiões brasileiras, o Centro-Oeste aparece em 3º lugar (10%), empatada com o Norte.

As pesquisas confirmam que 70% dos dependentes que permanecem por longos períodos internados não dão sequência ao tratamento ao sair desses espaços.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Assembleia Legislativa de Goiás