Marquezelli: é necessário tomar uma atitude corajosa na área da telefonia

PTB Notícias 21/06/2012, 18:53


O deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) afirmou nesta quinta-feira (21/6/2012) que é necessário que o Ministério das Comunicações “tome uma atitude corajosa” na área da telefonia do País.

Ele relatou, em discurso no plenário da Câmara, que os jornais desta semana trouxeram manifestação do PROCON, que recebeu mais de cinco mil queixas sobre telefonia celular.

Marquezelli disse que se foram registradas esse número de queixas, “imaginem a quantidade de usuários que não conseguiram protocolar uma queixa”.

“Se você quer fazer uma reclamação direta à sua empresa de telefonia, você não consegue.

Para começar, já é difícil conseguir uma ligação.

Você liga uma vez, duas vezes, três vezes e, quando consegue ter sua chamada recebida, passam a sua ligação para outra seção, para outra pessoa, para outro responsável.

Depois de alguns minutos ou horas, você consegue falar com alguém para registrar uma queixa sobre a sua conta telefônica ou aparelho que não funciona em determinado bairro ou no próprio município em que comprou o aparelho”, disse.

O petebista afirmou que uma das maiores reclamações é a dificuldade de se conseguir fazer uma ligação, concluir uma ligação.

De acordo com o deputado, 90% dos usuários de celulares brasileiros precisam tentar duas ou três vezes até conseguir ligar para alguém.

“Quero trazer a esta Casa a reclamação generalizada dessas empresas todas que estão vendendo telefones acima da sua capacidade de operação.

Vou repetir: estão vendendo telefones acima da sua capacidade de operacionalização.

É essa a verdadeira situação da telefonia no Brasil, que já está sendo qualificada como uma das piores do nosso planeta.

“Nelson Marquezelli questionou ainda o motivo de vender 230 milhões de aparelhos para 200 milhões de brasileiros.

Segundo ele, a maioria carrega o telefone como enfeite, porque, diz, não consegue em determinadas horas do dia usá-lo para falar com a família ou chamar ajuda em uma emergência.

“Hoje vivemos essa falta de segurança e o telefone em funcionamento ajuda na proteção da vida”, disse ele.

“Senhor ministro do Planejamento, está na hora de tomar providências drásticas em relação a essas companhias que estão enganando o povo brasileiro.

Está na hora”, cobrou.

Agência Trabalhista de Notícias, por Felipe Menezes